Mortes de civis iraquianos cresce em guerra contra insurgentes

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Em 2012, mais de quatro mil civis morreram; ativistas afirmam número cresceu em relação ao do ano anterior

Reuters

Um total de 4.471 civis morreram no Iraque na contínua batalha contra insurgentes em 2012, o primeiro aumento anual do número de mortos em três anos, disseram ativistas nesta terça-feira (1).

As mortes, que cresceram se comparadas às 4.059 registradas em 2011, mostram que combatentes militantes continuam empenhados em realizar ataques de grande escala com bombas, disse o grupo de direitos humanos Iraq Body Count (IBC), em seu relatório anual.

As tensões entre as facções xiita, curda e sunita do governo compartilhado do Iraque cresceram em 2012, e a guerra civil na vizinha Síria tem estimulando a tensão sectária na região.

Leia mais: Explosões pelo Iraque matam 16 pessoas deixam 76 feridos

Estudo: Atentados terroristas aumentam, mas causam menos mortes, diz estudo

Nova geração: Iraque enfrenta crise com órfãos de guerra

Os insurgentes são uma forte ameaça, embora a violência tenha caído drasticamente desde o auge dos confrontos internos que seguiram a invasão de 2003 que derrubou o ex-presidente Saddam Hussein.

Houve pelo menos um grande bombardeio por mês neste ano, geralmente visando as forças de segurança, escritórios governamentais ou muçulmanos xiitas. O dia mais sangrento de 2012 foi 9 de setembro, quando mais de 100 pessoas foram mortas em uma série de explosões de bombas.

"O ano de 2012 marca o primeiro desde 2009 em que houve um aumento no número de mortos", disse a IBC em um comunicado.

Em dezembro, os números divulgados pelo governo mostraram 208 mortes de iraquianos, incluindo 55 policiais e 28 soldados.

A IBC afirma que registrou entre 110.937 e 121.227 mortes de civis em incidentes violentos desde a invasão de 2003.

(Reportagem de Ahmed Rasheed)

Leia tudo sobre: iraquexiitacurdasunita

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas