Espanha diz que músico brasileiro agredido tinha arma

Israel França afirma ter sido espancado por policiais em Granada. Embaixador espanhol nega motivações racistas no episódio

Agência Estado |

Agência Estado

O músico pernambucano Israel França, que afirma ter sido espancado por policiais na cidade espanhola de Granada, estava embriagado e com uma arma branca, segundo o embaixador da Espanha no Brasil, Manuel de la Cámara Hermoso. De acordo com o diplomata, a polícia foi acionada após França, que estava "em estado de embriaguez", ter iniciado uma briga com um cliente num bar.

"A polícia solicitou ao sr. França sua identidade, mas ele se recusou a apresentá-la, insultando aos agentes. Após sair do local, foi descoberto que ele possuía uma arma branca. A policia nega ter maltratado ao sr. França, mesmo ele tendo resistido à autoridade", disse o embaixador.

Leia também:
Brasileira de 77 anos é barrada pela imigração espanhola
Brasil fará a espanhóis exigências iguais a de brasileiros na Espanha
Após ser barrado, artista baiano planeja protesto contra Espanha

O diplomata considera injusta a acusação de que o episódio tenha tido "motivações racistas". O músico é negro. "Há 22 anos o sr. França reside na Espanha sem problemas, estando perfeitamente integrado na sociedade espanhola e trabalhando como empregado municipal, sendo membro da Orquestra Ciudad de Granada", afirmou.

O embaixador disse que o músico tem recebido assistência consular e que a denúncia apresentada por ele será analisada pela Justiça. França é violinista e regente da Orquestra Ciudad de Granada. Ele afirma que na noite de 23 de dezembro estava com um amigo no bar e foi abordado por policiais. O músico diz ter sido levado para uma área deserta e espancado pelos oficiais.

    Leia tudo sobre: brasileiros no exteriorespanhamúsico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG