Putin indica que proibirá adoções de crianças por norte-americanos

Medida, já aprovada no Parlamento, retalia lei americana que proíbe russos suspeitos de violar direitos humanos de entrar nos EUA

Reuters |

Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, deu indícios nesta quinta-feira de que iria transformar em lei um projeto que proíbe que norte-americanos adotem crianças russas, e buscou conter as críticas à ação prometendo medidas para cuidar melhor dos órfãos do país.

Leia mais: Parlamento russo aprova proibição de adoção de crianças por americanos

AP
Manifestantes protestam contra projeto que proíbe adoção de crianças russas por americanos

Em declarações televisionadas, Putin tentou apelar ao patriotismo do povo sugerindo que países fortes e responsáveis deveriam cuidar dos seus e apoiou uma lei que vai esgarçar ainda mais as relações entre Rússia e EUA.

Medida: Câmara russa aprova projeto que classifica ONGs de 'agentes estrangeiros'

Leia também: Putin expulsa entidade americana da Rússia e alega 'ataque à soberania'

"Há provavelmente muitos lugares no mundo onde os padrões de vida são maiores do que os nossos. E então, vamos enviar todas as nossas crianças para lá? Talvez devamos nos mudar para lá nós mesmos?", disse, em tom de sarcasmo.

O Parlamento deu sua aprovação final na quarta-feira ao projeto de lei, que também introduziria outras medidas em retaliação à nova legislação norte-americana criada para punir russos acusados de violações dos direitos humanos.

Para que se torne lei, Putin precisa assiná-la.

Críticos do projeto dizem que as autoridades russas estão jogando jogos políticos com as vidas de crianças, enquanto o Departamento de Estado dos EUA repetiu sua "preocupação profunda" com a medida.

    Leia tudo sobre: rússiaputinadoçãoeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG