Padre italiano culpa mulheres por violência doméstica e provoca revolta

Padre Piero Corsi, de um vilarejo no norte da Itália, divulgou um texto em que chama as mulheres de provocadoras e arrogantes que deixam casa e roupas sujas e servem fast food

Reuters |

Reuters

Um padre italiano provocou indignação depois de publicar um artigo dizendo que as mulheres eram em parte culpadas por encorajar a violência doméstica ao não limparem suas casas e não cozinharem adequadamente e por usarem roupas justas e provocadoras.

México:  Mulheres são as principais vítimas de onda de violência

Índia:  Estupro coletivo em ônibus causa comoção e protestos no país

A mídia italiana divulgou que o padre paroquial Piero Corsi fixou um texto ao quadro de boletins de sua igreja no vilarejo de San Terenzo di Lerici, no norte, que dizia que as mulheres deveriam fazer uma "autocrítica saudável" sobre a questão do feminicídio, ou homens que matam mulheres.

A violência doméstica contra as mulheres é um problema grave na Itália, embora um estudo de uma missão da Organização das Nações Unidas (ONU) em junho dissesse que era "em grande parte invisível e pouco relatado".

"Vamos nos perguntar. É possível que os homens tenham todos enlouquecido de um só golpe? Não achamos", dizia o texto, que foi reproduzido em vários jornais.

"O centro do problema está no fato de que as mulheres estão cada vez mais provocadoras, elas são arrogantes, acreditam que podem fazer tudo sozinhas e acabam exacerbando as tensões", dizia.

"Bebês deixados sozinhos, casas sujas, refeições frias e fast food em casa, roupas imundas. Então, se uma família termina em bagunça e se volta para o crime (uma forma de violência que deveria ser condenada e punida firmemente), frequentemente a responsabilidade é dividida", dizia.

O prefeito de Lerici, Marco Caluri, disse nesta quinta-feira que o artigo era "assombrosamente e profundamente ofensivo" e o bispo de La Spezia decretou que ele fosse retirado, dizendo que ele continha "opiniões inaceitáveis que são contra a posição comum da Igreja".

    Leia tudo sobre: itáliapadreviolência doméstica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG