Opositor russo é alvo de investigação pela terceira vez

Agora, comissão russa abre inquérito contra opositor a Valdimir Putin por fraude; Alexei Navalny afirma ser inocente

iG São Paulo |

A Comissão de Investigação da Rússia anunciou nesta segunda-feira (24) a abertura de uma terceira investigação contra Alexei Navalny, um dos líderes da oposição ao presidente Vladimir Putin. O advogado e blogueiro anti-corrupção, conhecido por seus vínculos com nacionalistas, é acusado de ter desviado há cinco anos 2,4 milhões de euros pertencentes a um antigo partido político liberal.

Leia também:  Rússia indicia blogueiro opositor por furto

AP
Líder ativista russo Alexei Navalny deixa escritório da Comissão de Investigação Russa em Moscou (Foto de arquivo)


Em 2011:  Rússia liberta opositores presos em protestos contra eleição

De acordo com os investigadores, Navalny desviou fundos pertencentes ao partido político União das Forças de Direita em 2007. Apesar da abertura de inquérito, um ex-dirigente da legenda em questão afirmou que não houve nenhum episódio de fraude.

O líder da oposição afirma ser inocente. "Mais uma investigação contra mim. O que você está fazendo, Comissão de Investigação? Já basta!",comentou Navalny em sua conta no Twitter. Em declarações à rádio Eco de Moscou, o opositor considerou as novas acusações como um "delírio total", acrescentando que a comissão fabricou provas contra ele.

Saiba mais: Ativistas russos são detidos após reunião do conselho de oposição

Leia também:  Rússia envia membros do Pussy Riot para campos de detenção

De acordo com a comissão, uma empresa presidida por Navalny praticou fraude contra o União de Forças de Direita em 2007 ao receber para produzir uma propaganda e não honrar este contrato. Se acusado e condenado, o líder da oposição pode ser preso por 10 anos.

Navalny declarou que sua empresa, Allekt, recebeu uma comissão da legenda por seus trabalhos como agência de publicidade. Ele disse que as transações foram reportadas a Comissão Eleitoral da Rússia.

De acordo com a rede britânica BBC, Leonid Gozman, antigo dirigente do partido, afirmou que nenhuma fraude aconteceu. "Nada do tipo aconteceu. Ele não cometeu nenhum roubo", disse ele ao site gazeta.ru.

Leia mais:
Eleições locais na Rússia testam popularidade de Putin
Rússia marca aniversário de 60 anos do presidente Vladimir Putin

O novo indiciamento está ligado a um caso anterior, conhecido como Kirovles, uma empresa de produção de madeira localizada em Kirov (900 km a leste de Moscou), e que remonta a 2009. Navalny já havia sido indiciado no final de julho por "desvio de fundos em grande escala" neste caso.

O opositor também foi acusado neste mês por "fraude, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro". A última acusação refere-se a uma suposta fraude de uma empresa comercial no valor de 1,3 milhão de euros.

Navalny se tornou nos últimos anos um dos mais poderosos opositores do presidente Putin. Outro importante opositor russo, o líder da Frente de Esquerda Sergei Udaltsov, foi indiciado em outubro por "perturbação da ordem pública", uma acusação que pode resultar em 10 anos de reclusão em um campo de prisioneiros. "Serguei Udaltsov foi acusado e não reconhece ser culpado", informou na época a Comissão de Investigação.

Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: navalnyalexei navalnyrússiaputin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG