Bombeiros são mortos a tiros durante incêndio em Nova York

Dois bombeiros foram mortos e outros dois ficaram feridos enquanto chegavam ao local para deter as chamas; um atirador foi encontrado morto na cena do crime

iG São Paulo | - Atualizada às

Dois bombeiros morreram e outros dois ficaram feridos a tiros na manhã desta segunda-feira (24), enquanto tentavam apagar um incêndio em Webster, cidade do Estado de Nova York, informou a imprensa local.

Segundo a rede britânica BBC, eles foram atingidos assim que chegaram na cena do incêndio, que atingiu várias casas próximas ao lago Ontario. 

Leia também:  Massacre em escola primária deixa 27 mortos nos EUA

Até janeiro:  Obama pede 'propostas concretas' sobre controle de armas

AP
Reprodução de vídeo mostra incêndio no qual bombeiros foram alvo de tiros em Webster, Estado de Nova York



A morte dos dois bombeiros acontece no mesmo dia em que dois agentes de polícia foram baleados em incidentes separados em Wisconsin e no Texas.

As chamas começaram a se espalhar pouco antes das 6h no horário local (9h em Brasília) e os tiros impediram os bombeiros de tentar apagá-las.

Um suposto atirador foi encontrado morto no local, informou Gerald Pickering, chefe da polícia de Webster, cidade próxima à fronteira com o Canadá. Ainda não se sabe se outras pessoas tiveram participação no incidente.

Leia mais:  Lobby de armas dos EUA quer policiais armados em escolas

A polícia divulgou a identidade dos bombeiros mortos como sendo Tomasz Kaczowka e Mike Chiapperini.

"Às 05H45 nesta manhã, o departamento de bombeiros respondeu a um chamado informando de um incêndio. Ao chegar ao lugar, os bombeiros receberam disparos", explicou Pickering. "Quatro bombeiros foram baleados. Dois morreram e dois foram gravemente feridos e foram transferidos a hospitais da região."

Pickering acrescentou que, segundo as primeiras investigações, se trataria de uma emboscada perpetrada contra os bombeiros voluntários e a polícia. 

O bairro onde ocorreram os disparos foi esvaziado e os bombeiros lutavam contra o incêndio após a área ser cercada pela polícia. A área em que aconteceu o incidente é um lugar muito tranquilo com pequenas casas, segundo Pickering. "Temos muito poucos chamados para prestar serviço nessa cidade."

A tragédia na véspera do Natal é um duro golpe para esta pequena cidade de 40 mil habitantes, continuou Pickering. "É uma situação muito difícil. Webster é uma comunidade segura. Uma tragédia como esta é simplesmente horrível".

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, divulgou um comunicado com condolências para as famílias e amigos "daqueles que foram assassinados neste ato de violência sem sentido".

Também nesta segunda-feira, véspera de Natal, dois agentes policiais em serviço foram baleados e mortos em incidentes separados em Wisconsin e no Texas, segundo informou a polícia.

A policial Jennifer Sebena, 30 anos, foi encontrada morta a tiros no início da segunda-feira, segundo a polícia, no subúrbio de Milwaukee. Sebena estava em patrulha entre 3h e 5h da manhã, quando foi baleada várias vezes. Ela foi encontrada por um colega depois de não responder aos chamados.

Um oficial do Departamento de Polícia Bellaire, em Houston, morreu na sequência de um tiroteio por volta das 9h da manhã, que também matou um inocente, de acordo com relatos da mídia local.

Um porta-voz do Departamento de Polícia de Houston não estava imediatamente disponível para comentar o assunto. Um oficial que atendeu o telefone confirmou que a notícia estava na mídia local, mas não quis fazer mais comentários. O suspeito está no hospital, de acordo com a mídia local.

Um representante do Departamento de Polícia de Bellaire disse apenas que um policial havia sido baleado no final de uma perseguição.

Antes das mortes desta segunda-feira, o National Law Enforcement Officers Memorial Fund, com sede em Washington, informou que um total de 125 policiais federais, estaduais e locais dos EUA morreram no cumprimento do dever este ano. Quarenta e sete mortes foram relacionadas com armas de fogo, 50 de incidentes relacionados com o tráfego e 28 de outras causas, disse.

As mortes violentas acontecem em meio ao debate nos EUA sobre um maior controle na venda de armas de fogo . A discussão veio à tona após o massacre em uma escola primária de Connecticut e causou a morte de 20 crianças e seis adultos.

Com AFP, Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: bombeiroscorpo de bombeiroseuawebsternova yorkincêndioviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG