Presidente sul-coreana promete 'nova era' nas relações com Coreia do Norte

Entretanto, ela classifica como 'grave' a situação da segurança de seu país em relação a Pyongyang, após o lançamento de um foguete de longo alcance

iG São Paulo |

A presidenta eleita na Coreia do Sul, Park Geun-Hye, classificou como "grave" a situação da segurança de seu país em relação a Coreia do Norte, mas prometeu uma "nova era" nas relações com diálogos baseados na confiança.

"O lançamento do míssil de longo alcance pela Coreia do Norte evidencia a grave situação de segurança em que nos encontramos", afirmou a presidenta um dia após sua vitória nas eleições. "Cumprirei a promessa que fiz de abrir uma nova era na península coreana, baseada em uma forte segurança e uma diplomacia baseada na confiança."

Eleição:  Filha de ex-ditador é eleita primeira mulher presidente da Coreia do Sul

Leia mais:  Coreia do Norte lança foguete com sucesso e desafia alertas internacionais

AP
Park Geun-Hye comemora eleição à presidência na sede de seu partido, em Seoul, Coreia do Sul


Patk Geun-Hye, do partido conservador, derrotou seu adversário liberal Moon Jae-In na quarta-feira (19) . Ela fez o discurso após uma visita em homenagem aos líderes anteriores do país. A Coreia do Norte ainda não fez nenhum comentário sobre o resultado da eleição sul-coreana.

A Coreia do Norte lançou um foguete de longo alcance na semana passada e conseguiu colocar um satélite em órbita, empreitada condenada pela comunidade internacional. Para países como EUA, Japão, China e Coreia do Sul, o foguete é considerado um míssil balístico disfarçado.

Park Geun-Hye, filha do ex-dirador Park Chung-Hee, será a primeira presidente mulher da Coreia do Sul. Ela recebeu os parabéns do presidente dos EUA, Barack Obama, que caracterizou a Coreia do Sul como um ponto chave para a segurança na Ásia. "Nossas nações compartilham uma parceria global, com laços profundos na economia e segurança", disse em comunicado.

As eleições tiveram alto comparecimento, com 75,8% do eleitorado presente nos colégios. Com mais de 99% dos votos contabilizados, Park venceu com 51,6%, contra 48% de Moon. Problemas econômicos incluindo gastos sociais, criação de empregos e desigualdade dominaram sua campanha.

Ela se afatou também da intransigência que caracteriza a política em relação a Coreia do Norte mantida pelo atual presidente, Lee Myung-Bak, também do Partido Conservador, que suspendeu a ajuda humanitária a Pyongyang em represália ao bombardeio de uma ilha em 2010. Park chegou a sugerir uma reunião com o jovem líder norte-coreano, Kim Jong-un , à frente do regime comunista desde a morte de seu pai, Kim Jong-il , em dezembro de 2011.

Analistas acreditam, no entanto, que a presidente será freada pelos grandes nomes de seu partido e pela vontade dos Estados Unidos e de seus aliados de punir a Coreia do Norte depois do lançamento do foguete. Em tese, as duas Coreias permanecem em guerra. Os dois países não assinaram um tratado de paz após a guerra da Coreia (1950-53).

Moon reconheceu a derrota dizendo se sentir culpado por ter "falhado em cumprir minha missão histórica de abrir uma nova era na política".

Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: coreia do sulcoreia do nortepark geun hyepresidentepyongyangseoul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG