China detém centenas por espalhar rumores sobre o fim do mundo

Mais de 600 membros de culto Deus Todo Poderoso são presos por boatos relacionados à profecia maia. Grupo prega que Jesus reapareceu como mulher no centro do China

iG São Paulo |

Mais de 600 membros de um grupo cristão marginal na China foram detidos por espalhar rumores de um apocalipse iminente relacionado ao calendário maia , informou a agência de notícias Xinhua (Nova China).

Vídeo:  Países apressam preparativos para 'fim do mundo'

Getty Images
Pedra do calendário Maia encontrada em Yucatán

Na França: Autoridades cercam vilarejo que seria refúgio contra 'fim do mundo'

História: Profecias sobre o fim do mundo existem desde a Antiguidade

Conhecido como culto do Deus Todo Poderoso, o grupo usa o cenário de fim de mundo da profecia maia para prever que o sol não brilhará e a eletricidade acabará durante três dias a partir de 21 de dezembro.

O culto foi estabelecido em 1990 no centro da China e pede que seus membros lhe entreguem suas propriedades. Seus integrantes espalharam rumores sobre o fim do mundo de porta a porta ou em espaços públicos, alegando serem os únicos capazes de salvar vidas, de acordo com autoridades.

Leia também:
Líderes maias vão aos EUA explicar mudanças no ciclo do calendário
Fim do mundo previsto pelos maias é um erro de interpretação
Uma em 7 pessoas acredita que fim do mundo está chegando
Textos maias não profetizam fim do mundo em 2012

Amplamente vistos como uma seita cristã herética, o grupo prega que Jesus reapareceu como uma mulher no centro da China. Ele também foi acusado de ter como alvo cristãos, sequestrando-os e espancando-os para forçar conversões.

A maioria dos membros do culto capturada pela polícia ficou presa por cinco a dez dias por perturbar a ordem social. A polícia apreendeu panfletos, vídeos, livros e outros materiais sobre o apocalipse nas prisões recentes em oito províncias e regiões do país, em uma área abrangendo da próspera costa leste à menos desenvolvida região ocidental, informou a mídia chinesa.

As detenções aconteceram antes da sexta-feira de 21 de dezembro, data que alguns dizem que os maias profetizaram como sendo a do fim do mundo e que foi tema do filme apocalíptico "2012".

A sociedade chinesa está em tumulto após décadas de rápido crescimento econômico de mercado livre desacreditarem a ideologia comunista, afrouxarem os controles sociais e forçarem centenas de milhões da região rural para as cidades. Ao vácuo espiritual correram grupos budistas tradicionais assim como igrejas cristãs evangélicas e outros grupos espirituais, alguns com visões heterodoxas e apocalípticas.

Leia também: Saiba como surgiu a profecia do fim do mundo

Saiba mais: Entenda o legado da civilização maia

Sem dar detalhes, a rede CCTV chamou o Deus Todo Poderoso de culto, acusando-o de atacar o partido e o governo. Na semana passada, o site estatal Huashang informou que o grupo vem conclamando seus seguidores a "exterminar o grande dragão vermelho" — uma referência ao Partido Comunista — "e fundar um país sob o governo do Deus Todo Poderoso".

*Com AP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG