Em discurso, presidente dos EUA indicou que vai liderar debate sobre a venda e a posse de armas no país. Cerimônia religiosa ecumênica foi marcada pela emoção dos moradores

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, participou neste domingo (16) de uma vigília com as famílias das vítimas do ataque que deixou 27 mortos na escola da cidade de Newtown , em Connecticut. Membros dos serviços de emergência também participaram da cerimônia religiosa ecumênica.

O ataque:  Massacre em escola primária deixa 27 mortos nos EUA

Galeria:  Veja imagens de ataque contra escola primária dos EUA

Obama assistiu à cerimônia na primeira fila de um auditório da Newtown High School, uma escola de segundo grau da cidade. Em silêncio, o presidente cruzou as mãos na frente do rosto em gesto de oração e fechou os olhos por uns minutos.

Citando os nomes das 20 crianças - com entre seis e sete anos - mortas no massacre, Obama pediu que todos "façam com que nosso país seja mais digno" em memória das vítimas, após transmitir aos familiares e amigos dos mortos 'o amor e as orações' dos Estados Unidos


Em seu discurso, Obama perguntou a seus compatriotas se "estamos fazendo o suficiente para proteger nossas crianças". "Refleti nestes últimos dias e, para sermos honestos, a resposta é não."

"Não podemos mais tolerar isto. Estas tragédias precisam acabar, e para por fim a isto precisamos mudar. Podemos fazer melhor. Se há ao menos uma medida que possamos adotar para salvar uma criança (...) temos a obrigação de adotá-la", disse Obama, lembrando que sua visita a Newtown é a quarta que realiza em seus quatro anos de mandato a cidades abaladas por massacres.

"Nas próximas semanas, vou me valer dos poderes que minhas funções me conferem para reunir meus concidadãos, desde os membros das forças da ordem até profissionais de psiquiatria e professores, com a finalidade de deter tragédias como estas."

"Não podemos aceitar que fatos como estes se tornem rotina. Estamos dispostos a admitir que somos impotentes diante destes massacres como o de Newtown? Que a situação política é demasiado difícil?", perguntou o presidente sobre a posse de armas nos Estados Unidos.

'Estamos dispostos a dizer que uma violência como esta, da qual são vítimas ano após ano os nossos filhos, é de uma maneira ou outra o preço a pagar por nossa liberdade?' - desafiou Obama, indicando que vai liderar o debate sobre a venda e a posse de armas no país.

Os familiares das vítimas e moradores locais estavam visivelmente emocionados e foram às lágrimas em muitos momentos. A comitiva do presidente chegou no final da tarde deste domingo a Newtown.

Identidade confirmada

Durante a tarde deste domingo, a polícia do Estado de Connecticut confirmou oficialmente pela primeira vez que o jovem que matou 27 pessoas em Newtown na sexta-feira era Adam Lanza, de 20 anos . O tenente Paul Vance também confirmou que ele se matou.

Luto: Obama se junta às famílias de Connecticut em busca de respostas
Investigações: Vítimas de ataque à escola foram mortas por vários tiros de fuzil
Família: Pai de atirador diz estar chocado e com o coração partido

Adam Lanza primeiro assassinou a mãe Nancy Lanza, em casa, antes de cometer o massacre na escola Sandy Hook, onde executou 20 crianças entre seis e sete anos e seis mulheres com um fuzil de assalto.

Outra nova informação sobre as investigações do massacre de Newtown divulgada neste domingo é que Adam Lanza atirou quatro vezes na cabeça da mãe. Depois do primeiro assassinato, foi até a escola com três armas: as pistolas Glock 10 mm e Sig Sauer 9 mm e um fuzil Bushmaster. Outra arma ainda foi encontrada no carro, além de cartuchos e centenas deixadas na escola.

*Com informações da Reuters, AFP e CNN 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.