Artefato da época da jihad foi ativado acidentalmente por uma das crianças; na capital, atentado com carro-bomba reivindicado pelo Taleban deixa dezenas de feridos

Dez crianças morreram na explosão de uma mina no momento em que recolhiam lenha na província de Nanagahar, leste do Afeganistão, nesta segunda-feira (17).

As crianças, com idades entre 9 e 11 anos, morreram quando uma delas ativou, acidentalmente, uma mina com um machado, informou à AFP Mohammad Sediq Dawlatzaiel, governador do distrito de Chaparhar.

Leia também:  Afegã grava conversa em que juiz pede suborno e casamento forçado

Violência: Chefe do serviço secreto do Afeganistão é ferido em atentado

Membro da segurança afegã caminha perto dos escombros da explosão de um carro-bomba, em Cabul
AP
Membro da segurança afegã caminha perto dos escombros da explosão de um carro-bomba, em Cabul


Feriado islâmico: Ataque suicida deixa 41 mortos no Afeganistão

"Uma antiga mina da época da jihad ( contra as tropas soviéticas nos anos 80 ) explodiu, matando a 10 crianças e deixando duas feridas", disse.

O porta-voz do governo da província de Nangarhar, Ahmad Zia Abdulzai, afirmou, no entanto, que a mina havia sido colocada no local pelos "inimigos do Afeganistão", em referência aos insurgentes do Taleban.

Leia também: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

Saiba mais: Otan matou 4 crianças em operação no leste do Afeganistão

Desde 1989, quando os soviéticos deixaram o país após uma década de presença militar, 700.000 minas foram desativadas e mais 15 milhões de restos de explosivos localizados, segundo números da ONU.

Apesar dos esforços, mais de três décadas de guerra - com os soviéticos, a guerra civil dos anos 1990 e contra as forças da Otan - transformaram o Afeganistão em um dos países com maior quantidade de minas do mundo.

Também nesta segunda-feira, um carro-bomba explodiu próximo a um complexo que abrigava uma empreiteira do Exército americano em Cabul. A explosão deixou dezenas de ferido, segundo representantes da empresa e a polícia. 

Um representante da Contrack, empresa de McLean, Virginia, que constrói complexos para bases militares, disse que um suicida dirigiu um veículo cheio de explosivos até a parede externa da enpresa e detonou as bombas. A polícia afegã disse que não podia confirmar se era um ataque suicida ou uma bomba detonada à distância.

O porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, reivindicou a responsabilidade pelo ataque. 

Com AP e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.