Chanceler de Israel renuncia após indiciamento por quebra de confiança

Lieberman, que disse que lutará para limpar seu nome, foi acusado formalmente na quinta por um escândalo financeiro de mais de uma década

iG São Paulo | - Atualizada às

AP
Chanceler Avigdor Lieberman (foto de arquivo)

O ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, renunciou nesta sexta-feira depois de ser indiciado por quebra de confiança após uma longa investigação. Lieberman também renunciou como vice-primeiro-ministro e disse que lutaria para livrar seu nome das acusações.

Acusação: Chanceler de Israel é indiciado por quebra de confiança

O caso contra ele se relaciona a um escândalo financeiro de mais de uma década. Sua renúncia acontece cinco semanas antes das eleições gerais de Israel.

Lieberman foi indiciado na quinta-feira por quebra de confiança em um dos casos de corrupção pelos quais estava sendo investigado, mas escapou de acusações mais sérias, como fraude e lavagem de dinheiro.

Ex-premiê: Israel absolve Ehud Olmert de principais acusações de corrupção

Leia mais: Ex-premiê é condenado a um ano de prisão, com suspensão de pena

Nascido na ex-União Soviética, Lieberman é presidente do Yisrael Beitenu, partido ultranacionalista e especialmente popular com imigrantes da antiga URSS. A legenda e o Likud, partido do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, juntaram forças recentemente e se candidataram em uma coalizão na eleição parlamentar de 22 de janeiro.

Promotores levantaram suspeitas de que Lieberman recebeu ilegalmente milhões de dólares de empresários e praticou lavagem de dinheiro por meio de empresas de fachada do leste da Europa no período em que era parlamentar e ficava a cargo de uma série de pastas ministeriais. Na quinta, o procurador-geral Yehuda Weinstein disse, no entanto, que as provas não eram fortes o suficiente para indiciá-lo por fraude e corrupção.

Em vez disso, Lieberman foi indiciado por ter recebido material oficial de uma investigação contra ele do ex-embaixador de Israel na Bielo-Rússia. Zeev Ben Aryeh, o embaixador, conseguiu fazer um acordo com a Justiça no começo do ano.

Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: israelliebermanquebra de confiançafraudenetanyahu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG