Alunos receberam ordens de 'cobrir os olhos' para deixar escola após massacre

Segundo Sarah Caron afirmou à rede CBS, seu filho ficará traumatizado após ter presenciado massacre: 'Essas eram as crianças que ele conhecia'

iG São Paulo | - Atualizada às

AP
Crianças da escola Sandy Hook são retiradas em fila

Uma mãe de duas crianças que estudam na Escola Elementar Sandy Hook, em Connecticut, alvo de um massacre nesta sexta-feira (14), disse que os responsáveis por escoltar seu filho para fora do colégio pediram para que ele e os outros alunos "cobrissem os olhos". "Ele ouviu estrondos altos e sua professora disse que eles deveriam se proteger", disse Sarah Walker Caron, uma escritora, à rede CBS .

Leia também:  Ataque em escola primária nos EUA deixa 27 mortos

Saiba mais: 'Nossos corações estão partidos', diz Obama sobre massacre

Sarah afirmou que a professora de seu filho, que está na 2ª série, trancou os estudantes dentro da sala quando os disparos começaram, por volta das 9h30 no horário local (12h30). "Um policial entrou para ter certeza de que tudo estava bem", disse Sarah, citando o relato de seu filho. Ela disse que sua caçula, que está no jardim de infância, estuda à tarde e não estava na escola no momento do ataque.

Violência: Saiba quais foram os ataques mais mortais dos últimos 20 anos nos EUA

O massacre na escola primária deixou 27 mortos , incluindo 20 crianças e o atirador, segundo informou a polícia. Segundo uma testemunha, entre os adultos mortos estão o diretor e um psicólogo da escola.

Galeria: Veja as imagens do ataque à escola de Connecticut

"Isso vai ser uma coisa que meu filho terá de processar", disse. "Você não passa por uma situação dessas e não se afeta. Essas são as crianças que ele conhecia. Esse era seu diretor."

Agora em casa - com as portas trancadas e junto à sua família - Sarah disse que nunca pensou que um ataque como esse pudesse acontecer em uma "cidade tão pequena e quieta" como Newtown.

Essa também foi a opinião da mãe de Alexis Wasik, aluna da 3ª série da escola. "Não parece real, não parece nem mesmo possível. A gente costuma ouvir essas notícias na TV e fica com pena da família, mas nunca imagina que pode acontecer tão próximo de você."

Uma testemunha ouvida pela CNN , que estava dentro da escola em uma reunião no momento do ataque, disse que houve muita confusão e gritos. Ela disse que se deparou com dois corpos em uma "piscina de sangue" no corredor.

    Leia tudo sobre: ataque em newtownconnecticuteuaataque a escola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG