Potencial sucessor diz ser leal a Hugo Chávez para 'além desta vida'

Nicolás Maduro ficou emocionado ao falar do presidente venezuelano, que passará por nova cirurgia para combater câncer; em Cuba, Chávez recebeu Rafael Correa

iG São Paulo |

O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro , reafirmou na segunda-feira (10) sua lealdade "além da vida" ao presidente Hugo Chávez , em sua primeira declaração depois de ter sido indicado como herdeiro político do chefe de Estado . Em Cuba, onde chegou para se submeter a uma nova cirurgia contra o câncer, o presidente venezuelano recebeu a visita do presidente do Equador, Rafael Correa.

Em um ato em favor a Elías Jaua, candidato da situação ao governo do Estado de Miranda para as eleições estaduais de domingo (16), Maduro afirmou que "até além desta vida vamos ser leais a Hugo Chávez".

Venezuela:  Chávez viaja a Cuba para nova cirurgia após volta do câncer

Perspectiva: Venezuelanos preparam 'chavismo sem Chávez'

AP
Nicolás Maduro conversa com Hugo Chávez (foto de arquivo)


Leia mais: Chávez anuncia nova cirurgia contra câncer e vice como potencial sucessor

Maduro, 50 anos, acompanhou Chávez na madrugada de segunda no embarque em um avião que o levou a Havana, onde se submeterá nos próximos dias à terceira operação contra um câncer, diagnosticado em 2011 .

No sábado, o presidente anunciou que a intervenção era "absolutamente imprescindível" devido ao aparecimento de células malignas na mesma área onde está o câncer. Neste anúncio, Chávez indicou Maduro a assumir a presidência interina e ser candidato da situação às eleições, que deverão ocorrer em 30 dias, caso Chávez fique incapacitado de governar após a cirurgia.

Junho de 2011: Na TV, Chávez afirma que passou por cirurgia para retirar tumor

Fevereiro de 2012: Chávez diz que fará cirurgia após encontrar nova 'lesão'

"Chávez tem um povo, tem a nós e nos terá sempre nesta batalha, de vitória em vitória, com nossa lealdade", disse Maduro, visivelmente emocionando, chegando a ficar sem voz em alguns momentos. "Vamos superar com coragem, com amor e com oração esta circunstância que estamos vivendo."

Em Cuba, Chávez recebeu a visita do presidente do Equador, Rafael Correa. Ele esteve junto ao presidente cubano, Raúl Castro e Fidel Castro. Correa disse ter deixado o encontro com a sensação de que Chávez está bem, otimista e em bom estado de espírito. "( Ele ) está com grande otimismo, grande fé e com um estado de espírito excelente", disse.

Infográfico: Saiba os nomes cotados para suceder a Chávez na Venezuela

Cronologia: Chávez e sua luta contra o câncer

"Eu vim dar um abraço ( em Chávez ) e prestar o apoio do Equador a toda essa grande nação ( a Venezuela )", afirmou. "É um presidente que mudou a história da Venezuela e da América Latina. Um ser humano extraordinário que passa por um momento difícil na área da saúde."

Ao ser perguntado sobre o estado de saúde de Fidel Castro, que também passou por dificuldades, Correa disse ter boa impressão. “Ele me passou uma imagem global do que está acontecendo na China, na Rússia, nos Estados Unidos e na América Latina. É impressionante como ele gerencia todas as informações."

Perfil: Conheça Nicolás Maduro, ex-motorista de ônibus que pode suceder a Chávez

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre Venezuela

Câncer de Chávez

Em 10 de junho de 2011, Chávez se submeteu em Cuba a uma cirurgia de emergência para retirar um abscesso pélvico. Durante o procedimento, foi descoberto um câncer não especificado que o forçou a se submeter a uma segunda operação. Em 30 de junho do mesmo ano, ele veio a público para admitir que tinha um tumor, que, apesar de tratamento quimioterápico, voltou neste ano. Para combater a recaída, Chávez passou por sessões de radioterapia.

Chávez disse que exames feitos imediatamente depois de sua reeleição mostraram nenhum sinal de câncer. Mas ele afirmou que sentia dores, que pensou serem consequência do "esforço da campanha e do tratamente radioterápico". "É uma área muito sensível, então começamos a prestar bastante atenção nela", disse, acrescentando que por esse motivo reduziu suas aparições públicas.

O líder venezuelano fez sua mais recente viagem a Cuba na noite de 27 de novembro, dizendo que receberia tratamento de oxigenação hiperbárica, tratamento regularmente usado para ajudar a recuperar tecidos danificados pela radioterapia. Enquanto estava em Cuba, exames detectaram a reincidência do câncer.

Com AFP e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: madurochávezvenezuelacâncer de chávezfidel castroraúl castrocorrea

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG