Empresário tentará levar colorados de volta ao poder no Paraguai

Novato na política, Horácio Cartes tem interesses empresariais que vão de bancos ao tabaco

Reuters |

Reuters

AP
Candidato presidencial do Partido Colorado, Horácio Cartes (D), cumprimenta partidários após primárias em Assunção, Paraguai (09/12)

Um bem-sucedido empresário paraguaio vai liderar os esforços do Partido Colorado, de direita, para tentar recuperar a presidência na eleição de abril, depois de quatro anos à margem do poder.

O milionário Horácio Cartes, de 56 anos, um político novato com interesses empresariais que vão de bancos a tabaco, ganhou as primárias no domingo com cerca de 60% dos votos, segundo resultados preliminares do partido.

Cartes lançou sua candidatura com uma nota conciliatória, pedindo a unidade do partido e prometendo que seu governo estaria comprometido com o combate à pobreza que aflige metade da população do Paraguai.

"Não há razão de haver prédios enormes e estradas se quase 50% do povo ainda é pobre", disse em sua sede de campanha, acompanhado pelas duas filhas e por seu candidato a vice-presidente, o ex-governador Juan Afara.

O Partido Colorado governou o país sul-americano sem saída para o mar e exportador de soja por mais de seis décadas sem interrupção, até 2008, quando foi derrotado pelo ex-bispo católico Fernando Lugo , de esquerda.

Lugo foi derrubado pelo Congresso em um polêmico impeachment neste ano, que deixou a presidência nas mãos do político Federico Franco , do Partido Liberal, até a posse do novo presidente após a eleição de 21 de abril.

Cartes ganhou a indicação presidencial do Colorado depois de uma longa campanha, na qual conquistou líderes partidários que estavam céticos em relação à sua experiência política.

Seu principal adversário para a presidência deve ser o candidato Efrain Alegre, do Partido Liberal, de centro-direita. Pesquisas de opinião mostram os dois partidos em uma disputa acirrada, com Alegre - que faz campanha há meses - com uma leve vantagem.

Isso pode mudar depois das primárias do Colorado no domingo. "Há uma grande chance de os colorados voltarem ao governo no próximo ano porque, ao contrário da última eleição, o Partido Colorado estará unido e a oposição, dividida", disse o analista político José Carlos Rodriguez.

"O Partido Colorado encontrou alguém com financiamento, um candidato competitivo, mas com muitas dúvidas porque não é político. Não sabemos muito sobre a sua agenda, e ele tem algumas questões negativas em seu passado", acrescentou.

Cartes foi acusado, e mais tarde absolvido, de fazer negócios ilegais em moeda estrangeira durante os 35 anos de ditadura do general Alfredo Stroessner. Ele negou qualquer irregularidade. Na esquerda, Lugo pretende concorrer ao Senado representando a coalizão Frente Guasu.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG