Coreia do Norte prorroga prazo para lançamento de foguete

Pressionada por Coreia do Sul, Japão e EUA, país afirma que cientistas encontraram 'uma deficiência técnica' e que lançamento deve ocorrer até dia 29 de dezembro

iG São Paulo |

A Coreia do Norte prorrogou nesta segunda-feira (10) o prazo para o lançamento de um foguete de longo alcance em uma semana, após descobrir problemas técnicos. Um porta-voz não identificado do Comitê de Tecnologia Espacial do país afirmou à mídia estatal que cientistas descobriram "uma deficiência técnica no módulo de controle do motor da primeira fase do foguete, que carrega o satélite".

Leia mais:  EUA chamam de 'provocativo' plano da Coreia do Norte de lançar foguete

Coreia do Norte: Satélite mostra atividade em base de lançamento

AP
Soldados sul-coreanos fazem patrulha próximo a Panmunjom, área desmilitarizada que divide as duas Coreias


O comunicado oficial não forneceu mais detalhes, mas informou que os cientistas decidiram prorrogar o período de lançamento do satélite para até 29 de dezembro.

A Coreia do Norte faz sua segunda tentativa no ano de lançar um foguete, o que é considerado por EUA, Japão e Coreia do Sul um teste para o desenvolvimento de um míssil balístico, capaz de transportar uma ogiva nuclear. Estes países ameaçaram a Coreia do Norte com sanções caso o lançamento não seja cancelado.

Relembre:  Foguete da Coreia do Norte provoca constrangimento e críticas

Autoridades norte-coreanas afirmam que o lançamento tem fins pacíficos e é parte do avanço do programa espacial do país, além de ser o último desejo de Kim Jong-il, que morreu há um ano , em 17 de dezembro de 2011. A Coreia do Norte também celebra o centenário do nascimento de Kim Il-sung, avô do atual líder do país, Kim Jong-un .

O anúncio do lançamento do foguete provocou preocupação por conta do período em que deverá ser realiado: a Coreia do Sul e o Japão terão eleições importantes este mês, Barack Obama inicia seu segundo mandato em janeiro e a China acabou de formar a nova liderança .

O premiê japonês, Yoshihiko Noda, afirmou nesta segunda que seu governo se manterá vigilante. Tóquio mobilizou seu Exército para intercetar qualquer detrito do foguete. "No momento, estamos mantendo guarda", disse o ministro da Defesa do Japão, Satoski Morimoto. "Nós não vimos nenhuma indicação objetiva que nos faça alterar qualquer ponto do nosso preparo."

Os EUA também colocou navios extras com tecnologia de defesa de mísseis balísticos, segundo autoridades. A Coreia do Norte está proibida de realizar qualquer teste nuclear ou com mísseis por resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) impostas em 2006 e 2009, depois que realizou testes nucleares. Um terceiro lançamento de foguete, em abril, acabou fracassando .

Os EUA, o Japão e a Coreia do Sul afirmam que procurarão o Conselho de Segurança da ONU se o lançamento ocorrer. O Conselho condenou o lançamento feito em abril e ordenou a apreensão de bens de três empresas estatais norte coreanas ligadas ao financiamento da empreitada.

Um jornal sul-coreano disse nesta segunda-feira que a Coreia do Norte estava transportando um novo componente de foguete para o local de teste de mísseis. Um trailer carregando o componente, o qual se acredita ser um foguete de terceiro estágio, foi visto por satélite no sábado sendo transferido de uma usina de mísseis em Pyongyang para o local de lançamento de mísseis de Tongchang-ri, informou o jornal Chosun Ilbo, citando uma fonte do governo.

Autoridades do serviço de inteligência da Coreia do Sul e militares recusaram-se a confirmar a informação, citando a política de não comentar assuntos de inteligência. O lançamento de abril passado falhou minutos depois de decolar, algo que o Norte assumiu, em uma rara admissão de fracasso.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: coreia do nortecoreia do sulfoguetelançamentoeuajapão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG