Exército colombiano realiza maior operação militar contra o grupo desde o início das negociações de paz, em outubro

Pelo menos 20 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) morreram em um bombardeio militar contra acampamentos ilegais da guerrilha na zona rural do departamento de Nariño, sudoeste do país, próximo à fronteira com o Equador. Foi a maior operação militar contra as Farc desde que as negociações de paz começaram, em outubro .

Leia também:  Trégua unilateral das Farc divide opiniões na Colômbia

De acordo com o general Leonardo Barrero, chefe do Comando Conjunto Sul-Ocidente, integrado por unidades do Exército, da Aeronáutica e da Marinha, os ataque aconteceram durante a madrugada de sábado.

A Força Aérea bombardeou três acampamentos das Farc no município de Ricaurte, incluindo o de um comandante conhecido como "Guillermo, o Pequeno". "Este contundente golpe foi obtido como resultado de uma operação conjunta entre várias forças. Esta coluna mantinha atemorizados os moradores, camponeses e indígenas da região com assassinatos, extorsões, estupros", disse Barrero.

Trégua:  Farc anunciam cessar-fogo unilateral de dois meses em negociações

No sábado, quatro guerrilheiros das Farc foram mortos no departamento de Meta, centro do país, em meio ao cessar-fogo unilateral decretado pela guerrilha por ocasião dos diálogos de paz com o governo colombiano em Havana, na Cuba.

Diálogo 'positivo'

Os delegados do governo da Colômbia e da guerrilha das Farc terminaram com avanços na quinta-feira a primeira rodada de conversações de paz em Havana, que serão retomadas em 5 de dezembro, com vistas a por fim a um conflito armado que dura quase meio século.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, recebeu na noite de domingo sua equipe de negociadores nas conversações de paz com a guerrilha das Farc e disse que o relatório que recebeu foi "positivo".

As duas partes anunciaram, em setembro, que dialogariam para encerrar o conflito que em quase meio século deixou 600 mil mortos, 15 mil desaparecidos e quase quatro milhões de deslocados.

O processo foi formalmente lançado em 18 de outubro em Oslo, capital da Noruega.

Com AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.