Apesar de trégua, Israel mata palestino perto da fronteira com Gaza

Outros 19 ficam feridos no primeiro incidente violento depois do cessar-fogo entre o governo israelense e o Hamas

iG São Paulo |

Tropas israelenses mataram a tiros um homem palestino na fronteira com a Faixa de Gaza, no primeiro registro de violência desde o acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas, alcançado no quarta-feira. Outros 19 palestinos ficaram feridos.

NYT: Obama conquista vantagem sobre Netanyahu ao apoiar Israel

Vídeo:  Palestinos encaram destruição em Gaza após cessar-fogo

Reuters
Palestinos observam tanque israelense na fronteira com Gaza

Um porta-voz do Hamas, grupo islâmico que governa Gaza, acusou Israel de violar a trégua mediada pelo Egito, e disse que o grupo vai se queixar ao Cairo. Uma porta-voz militar israelense disse que as Forças Armadas estão verificando o incidente.

Fontes médicas disseram que Anwar Qdeih, de 23 anos, foi baleado na cabeça ao se aproximar da cerca que demarca a fronteira, uma área que Israel há muito tempo declarou ser de acesso proibido à população de Gaza.

Um parente da vítima disse à Reuters que Qdeih pretendia colocar uma bandeira do Hamas na cerca, mas também há relatos de que ele fazia parte de um grupo de palestinos que tentava pegar partes de um jeep israelense danificado no conflito. O parente acrescentou que um soldado de Israel havia feito três disparos para o alto antes de atirar em sua cabeça.

Israel lançou a ofensiva ontra o Hamas e outras facções de Gaza no dia 14 de novembro, com o objetivo declarado de parar com os ataques de foguetes palestinos contra cidades israelenses. Os oito dias de violência - o pior confronto entre os dois lados desde a invasão israelense a Gaza há quatro anos - mataram 161 palestinos, incluindo 71 civis, e cinco israelenses.

Pesquisas

Levantamentos indicaram que quase metade dos israelenses acredita que o país não deveria ter encerrado a ofensiva contra o Hamas. De acordo com a pesquisa da Maagar Mohot, 49% dos entrevistados é contra o cessar-fogo e 39% acreditam que Israel devia ter invadido Gaza por terra.

O descontentamento com o cessar-fogo também pode custar apoio eleitoral ao premiê Benjamin Netanyahu antes das eleições de janeiro. Mas ele ainda deve vencer, mostrou uma pesquisa nesta sexta-feira.

O levantamento ,do jornal israelense Maariv mostrou que o partido recém-unificado de Netanyahu e do ministro de Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, o Likud Beiteinu, levaria 37 das 120 cadeiras parlamentares na eleição do dia 22 de janeiro.

A pesquisa realizada antes dos oito dias de conflito em Gaza sugeria que o partido levaria 43 assentos.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: gazaoriente médioisraelnetanyahuhamasataquesagaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG