Brasileiros desistem de deixar a Faixa de Gaza após anúncio de cessar-fogo

Grupo de 20 cidadãos do País que também têm nacionalista palestina haviam pedido ajuda de escritório brasileiro em Ramallah

Agência Brasil |

Agência Brasil

Um grupo de 20 brasileiros com dupla cidadania palestina e que vive na Faixa de Gaza afirmou nesta quarta-feira ao Escritório do Brasil em Ramallah, Cisjordânia, que pretende ficar na região. A decisão foi tomada logo após o anúncio de acordo de cessar-fogo feito pelo ministro das Relações Exteriores do Egito, Mohamed Kamel Amr, e pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

EUA e Egito:  Israel e Hamas chegam a acordo de cessar-fogo

AP
Chanceler do Egito, Mohamed Kamel Amr, e secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, anunciam acordo de cessar-fogo para conflito em Gaza

Íntegra do texto: Leia o acordo de cessar-fogo entre Israel e Hamas

Apesar disso, o Ministério das Relações Exteriores disse à Agência Brasil que o Escritório do Brasil em Ramallah ficará em alerta para agir em caso de mudanças de planos dos brasileiros que têm dupla nacionalidade.

Pela manhã, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, reiterou, por meio de seu porta-voz, o embaixador Tovar da Silva Nunes, que o governo brasileiro apoiará todos os que desejarem deixar as regiões de conflito.

Desde o fim de semana, o Itamaraty faz a mediação para a retirada provisória dos brasileiros que vivem na região de Gaza. A estratégia era levar o grupo por terra em direção ao Egito, considerado o único caminho possível. A retirada foi negociada a pedido dos brasileiros que se sentiam inseguros.

Celebração: Palestinos de Gaza celebram cessar-fogo; novos foguetes atingem Israel

Nas áreas perto da Faixa de Gaza vivem cerca de 1 mil brasileiros. Nas regiões de Israel e dos territórios palestinos há aproximadamente 10 mil. O Ministério das Relações Exteriores informou ter recebido apenas 20 pedidos de ajuda encaminhados pelos binacionais palestinos.

Os diplomatas brasileiros, que acompanham o assunto, aguardam a normalização da situação em Gaza e nas áreas próximas após o anúncio de cessar-fogo. O acordo foi mediado por representantes dos Estados Unidos, do Egito e de mais de 50 países muçulmanos. O anúncio foi feito no oitavo dia de confrontos em Gaza.

    Leia tudo sobre: israelhamasataquesagazaoriente médiofaixa de gazapalestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG