Oposição síria terá representante na França, diz François Hollande

Presidente francês se reuniu com o dirigente do Conselho Nacional Sírio, Mouaz Alkhatib, para discutir o futuro do país após eventual queda de Bashar al-Assad

iG São Paulo |

O presidente da França, François Hollande, afirmou neste sábado que a coalizão de oposição na Síria terá um representante em Paris. O anúncio foi feito após o chefe de Estado se reunir com o dirigente do Conselho Nacional Sírio, considerado pelo governo francês o único grupo que representa a população no conflito entre rebeldes e forças leais ao presidente Bashar al-Assad.

Reuters
O dirigente do Conselho Nacional Sírio (esq.) se reúne com o ministro britânico em busca de mais apoio

Hollande convidou Mouaz Alkhatib para conversações em Paris e explicou que assim que os representantes da coalizão formassem um novo governo na Síria, o país voltaria a ter um embaixador na França.

“Haverá um embaixador sírio na França que será indicado pelo presidente da coalizão”, declarou Hollande.

Saiba mais: Golfo reconhece oposição síria; conflito se aproxima de Israel e Turquia

O líder francês é tido como um dos críticos mais ferrenhos a Bashar al-Assad, cuja repressão militar ao levante contra seu governo já causou a morte de 38 mil pessoas, segundo ativistas na região.

Ataque

Enquanto membros da oposição participavam de reuniões na França, rebeldes lançaram uma grande ofensiva na cidade de Albu Kamal, próxima à fronteira com o Iraque, e tomaram o aeroporto local, conhecido como Hamdan e utilizado pelo exército de Assad.

Forças do presidente teriam retaliado bombardeando o aeroporto com aviões de combate, disse Ziad al-Amir, um ativista local.

Um vídeo publicado por grupos rebeldes mostraram rebeldes patrulhando uma base aérea do deserto na província síria de Deir al-Zor. Nuvens de fumaça cinza subiram de alguns edifícios, enquanto combatentes examinavam vários tanques abandonados.

A captura de Hamdan significa que as forças de Assad agora só têm uma base aérea na província localizada ao sudoeste do país - o principal aeroporto militar na cidade de Deir al-Zor.

Se rebeldes mantiverem o domínio sobre o aeroporto, então Albu Kamal, uma cidade de fronteira de mais de 60 mil pessoas, é provável que caia nas mãos dos rebeldes, disse Rami Abdulrahman, chefe do Observatório Sírio para Direitos Humanos.

Com Reuters

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG