Após tensões diplomáticas, Obama e Putin aceitam ampliar acordos bilaterais

Durante ligação telefônica nesta terça-feira, presidente da Rússia informou que deseja melhorar relação com os Estados Unidos em áreas como defesa e economia

iG São Paulo |

Criticado durante a campanha por sua relação permissiva com a Rússia, o presidente reeleito Barack Obama deu sinais nesta terça-feira que está disposto a ampliar as relações dos Estados Unidos com o governo de Vladmir Putin. Durante uma conversa telefônica, ambos concordaram em superar a tensão diplomática que marcou o ano de 2012 e decidiram avançar com acordos bilaterais em diversas áreas.

AP
Putin e Obama durante reunião no México: após tensões, líderes voltam à mesa de negociações (arquivo)

Em comunicado emitido pelo Kremlin, o porta-voz Dmitry Peskov confirmou as intenções do presidente russo, Vladmir Putin. "O presidente deseja avançar com as relações bilaterais em todas as áreas, incluindo setores da economia", informou as agências de notícias russas.

Leia também: Putin demite chefe do Estado-Maior em meio à escândalo de corrupção

Peskov disse ainda que Obama também aceitou o convite de Putin para uma visita oficial à Rússia. Nenhum governo, porém, confirmou alguma data para a viagem do presidente dos Estados Unidos a Moscou.

Durante a campanha para a presidência dos Estados Unidos, Obama foi criticado por não prestar atenção à crescente tensão com a Rússia. O candidato republicano, Mitt Romney, chegou a caracterizar o governo de Vladimir Putin como o primeiro inigimo do país.

Na ocasião,  Obama fez piada sobre o fato de Romney ter dito que a Rússia – e não a Al-Qaeda – é o maior inimigo dos Estados Unidos.

Com AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: russiaeuaobamaputinacordos bilaterais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG