Amiga de ex-diretor da CIA recebeu emails que revelaram caso extraconjugal

Investigação que levou à renúncia de David Petraeus começou com mensagens enviadas por sua amante à Jill Kelley, que presta serviço não remunerado ao Exército

iG São Paulo | - Atualizada às

Militares dos Estados Unidos divulgaram informações sobre a mulher que recebeu os emails que levou o FBI (polícia federal americana) a descobrir o caso extraconjugal do ex-diretor da CIA (agência de inteligência americana) David Petraeus com sua biógrafa, Paula Broadwell. O caso motivou a renúncia de Petraeus na sexta-feira.

De acordo com as autoridades militares, que não quiseram ser identificadas, a mulher é Jill Kelley, 37 anos, que vive em Tampa na Flórida e trabalha de forma não remunerada na base aérea de Mac Dill, onde o centro de comando e centro de comando de operações especiais do Exército. 

Leia também: Renúncia de chefe da CIA é primeiro desafio de Obama

AP
O então chefe das tropas americanas no Afeganistão, David Petraeus, e sua biógrafa, Paula Broadwell, com quem teve um caso extraconjugal (13/07/2011)

Um ex-assessor de Petraeus confirmou que Jill era o alvo dos emails, mas afirmou que os dois nunca tiveram um relacionamento amoroso, sendo apenas amigos. Ela e o marido, Scott Kelley, divulgaram um comunicado dizendo ter sido amigos de Petraeus e sua família por mais de cinco anos. "Os respeitamos e queremos o mesmo para nós e nossos três filhos", disse o texto.

Petraeus, 60 anos, é casado há 38 anos com Holly, com quem tem dois filhos. Paula, 40 anos e formada da Academia Militar Americana, também é casada e tem dois filhos.

A renúncia de Petraeus pegou Washington de surpresa na sexta-feira. Na semana que vem ele tinha uma aparição marcada diante do Comitê de Inteligência do Congresso para testemunhar sobre o que a CIA sabia antes, durante e depois do ataque ao Consulado dos EUA em Benghazi , na Líbia, que matou o embaixador e mais três americanos no dia 11 de setembro. 

Nesta segunda-feira foi revelado que o FBI sabia do caso extracongal desde o verão americano (junho a agosto). Porém, Petraeus e outras autoridades de inteligência só foram avisadas sobre a investigação dos emails na semana passada. O pedido para que Petraeus renunciasse foi feito pelo diretor nacional de inteligência, James Clapper, na sexta-feira. O FBI justificou a demora para fazer o comunicado dizendo que a apuração sobre o caso estava incompleta e que não havia motivo para suspeitar que a segurança nacional tivesse sido comprometida. 

No domingo, membros do Congresso disseram que querem mais detalhes sobre a investigação e, principalmente, saber se a segurança nacional foi comprometida.

O caso será tema de duas reuniões de líderes do Comitê de Inteligência do Congresso na quarta-feira, da qual também participarão o vice-diretor do FBI, Sean Joyce, e o vice-diretor da CIA, Michael Morell.

Com AP

    Leia tudo sobre: euadavid petraeuspaula broadwellcia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG