Hu Jintao diz que corrupção é ameaça à China e promete reformas no partido

Discurso foi realizado durante Congresso do Partido Comunista, no qual o país deverá escolher um novo líder

iG São Paulo |

Em meio a escândalos recentes na escolha para o seu sucessor, o presidente da China, Hu Jintao, advertiu que a corrupção é um ameaça ao país e prometeu reformas políticas. O discurso foi realizado durante a abertura do Congresso do Partido Comunista, que dará início a uma mudança na liderança do governo, fato que acontece uma vez a cada dez anos.

AP
O presidente da China, Hu Jintao, e o ex-presidente do país, Jiang Zemin, anunciam a abertura do Congresso do Partido Comunista

Mais de 2.000 delegados escolhidos a dedo se reuniram no Grande Salão do Povo, em Pequim, para o início da reunião de uma semana de duração, realizada sob um cenário de crescente agitação social, indignação pública e um enorme abismo entre ricos e pobres.

Saiba mais: A portas fechadas, China inicia escolha de nova liderança

"Se falharmos em lidar com a questão da corrupção, pode ser fatal para o partido, e até mesmo causar o colapso do governo e a queda do Estado", advertiu Hu no discurso de abertura.

"A reforma da estrutura política é uma parte importante da reforma geral da China. Temos de continuar a fazer esforços ativos e prudentes para realizar a reforma da estrutura política e tornar a democracia popular mais ampla, mais completa em escopo e maior na prática."

Veja também: Conheça os políticos que disputam a liderança da China

Mas ninguém espera um movimento em direção a uma democracia plena e o porta-voz do partido Cai Mingzhao deixou claro na quarta-feira que o governo de partido único é inviolável.

O partido expulsou o líder regional Bo Xilai e o acusou de abusar de seu poder, aceitar subornos enormes e outros crimes em um incidente dramático que a abalou a transição da liderança.

"Nós nunca devemos deixar palavras atuar em lugar da lei ou o poder (pessoal) substituir a lei, nem iremos permitir a ignorância da lei para benefício pessoal", disse Hu.

Sucessão

Ele nunca disputou uma eleição. Pouco se sabe sobre suas opiniões acerca da economia mundial ou do aquecimento global. Para muitos chineses, é mais fácil reconhecê-lo como marido de uma popular cantora folk. Apesar disso, Xi Jinping , de 59 anos, está prestes a se tornar o homem mais poderoso da China, como líder do dominante Partido Comunista.

As transferências de poder no país, ainda feitas sob extremo sigilo, têm provocado tensão e incertezas. Mas, agora, com a China ocupando o posto de segunda maior economia do mundo e de uma superpotência em ascensão, as visões do novo líder realmente importam.

Xi, que já pertence ao comitê, daria início à quinta geração e gradualmente assumiria os poderes e títulos hoje conferidos a Hu. À primeira vista, a herança é atrativa. Durante os 10 anos em que Hu permaneceu à frente da China, a economia do país cresceu, em média, 10% anualmente e tirou milhões da pobreza.

Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: MUNDOCHINAHUCORRUPCAO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG