Porto Rico quer se tornar o 51º Estado americano

Em referendo, maioria da população votou pela mudança nas relações com os EUA; alteração do status quo depende do Congresso americano

iG São Paulo |

A maioria dos porto-riquenhos escolheu se tornar o 51º Estado norte-americano, em um referendo realizado na terça-feira (6). A medida, entretanto, requer aprovação no Congresso dos EUA, mas o presidente americano, Barack Obama , já sinalizou que respeitará a votação.

A ilha é atualmente um território dos EUA, que usa o dólar como moeda e cujos cidadãos viajam com passaportes americanos. Entetanto, não tem representação no Congresso e sua presença em Washington é garantida por um delegado que não tem poder de voto.

Leia também: Porto Rico decide se quer se tornar 51º Estado americano

AP
Moradores de San Juan agitam de um carro bandeira de Porto Rico


O referendo perguntou aos cidadãos da ilha se eles queriam alterar sua relação de 114 anos com os Estados Unidos. Cerca de 54%, ou 922.374, votaram pela mudança, enquanto 46%, ou 786.749, preferiram manter o status quo.

A segunda questão era se eles preferiam tornar Porto Rico um Estado americano (61%), indepenednte (5%), ou ainda uma opção chamada "associação livre soberana" com os EUA, que daria mais autonomia à ilha (33%).

Obama, antes da realização do referendo, expressou apoio à iniciativa e disse que respeitaria o desejo do povo porto-riquenho, no caso de uma clara maioria. Não ficou acertado se o congresso norte-americano debaterá os resultados do referendo, ou se Obama considerará que 54% é uma maioria suficiente.

Reflexos

Em um passeio pela capital, San Juan, o recém-chegado pode ter a impressão de que Porto Rico já é um Estado dos EUA. Porto Rico parece americano em vários detalhes: dos ônibus escolares amarelos à enorme loja de departamentos Macy's. Até mesmo o modelo das placas sinalizadoras nas estradas é o mesmo - com a diferença de que, aqui, as instruções estão em espanhol.

A maior parte da população (cerca de 85%) admite não dominar o inglês, o que faz com que o local soe mais hispânico do que americano. A cultura e as tradições do país também o aproximam mais da América Latina.

Economia

Esta foi a quarta votação do tipo na ilha nos últimos 45 anos. As outras mantiveram o status de Porto Rico. Mas, desta vez, a situação econômica na ilha pode ser um fator decisivo. A recessão foi longa e difícil em Porto Rico. No ano passado, o território tinha uma dívida de US$ 68 bilhões, e a taxa de desemprego é de mais de 13%. Na Plaza de Colón, uma estátua de Cristóvão Colombo fica em frente a um mercado de artesanato.

Perto dali, no Castillo de San Cristóbal, um forte do século 16 construído para proteger San Juan, o vermelho, branco e azul das bandeiras dos EUA e de Porto Rico estão ao lado de uma antiga bandeira naval espanhola. Do lado de dentro, guardas florestais dos EUA recebem os visitantes. O local é patrimônio da humanidade e um símbolo da época em que Porto Rico era colônia, uma situação que, segundo alguns, persiste até hoje.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: porto ricoeuareferendoestado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG