'Fé' ajuda engenheiro a conseguir ingresso de última hora para ver Obama

Se perder ou se ganhar, presidente dos EUA se dirige a partidários em discurso após apuração de votos que disputa com Romney

Leda Balbino - enviada a Chicago | - Atualizada às

O engenheiro Michael Mangan contou com a sorte - ou, em suas palavras, contou com a fé - para conseguir entrar no McCormick Center de Chicago, onde o presidente dos EUA, o democrata Barack Obama , discursa após a apuração dos votos da eleição que disputa com o candidato republicano, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney .

Veja o especial do iG sobre a eleição nos EUA

Dia do presidente:  Obama cumpre ritual em dia de eleição e joga basquete

Leda Balbino
O engenheiro Michael Mangan diz ter contado com a fé para conseguir acompanha discurso de Barack Obama


Democrata x Republicano:  Saiba mais sobre as propostas de Obama e Romney

Do Estado de Wisconsin, Mangan passou a 1h30 de sua viagem de trem pensando que, assim como em 2008, não precisaria de um ingresso para entrar no evento. Mas, diferentemente do discurso há quatro anos, feito em um parque público, o evento deste ano é em um auditório fechado.

Confiante de que mesmo assim conseguiria entrar, Mangan pegou um ônibus e foi ao local. "Se realmente nao conseguir, vou almoçar em Chinatown", disse.

Entenda como funcionam as eleições americanas

Entenda como funciona o Colégio Eleitoral americano

Ao descer do ônibus, Mangan não reparou que era observado e foi seguido por Anthony Gill, enquanto caminhava para o McCormick Place e falava de sua meta do dia.

Depois de ouvir do segurança da recepção que teria de esperar ate que a campanha de Obama decidisse se permitiria a entrada das pessoas que apareceram sem ingresso, o engenheiro foi abordado por Gill.

Leda Balbino
Anthony Gill trabalhou como voluntário na campanha do presidente Barack Obama

Direto de Chicago:  'Cada voto conta', diz eleitor em Estado de Obama

"Você precisa de uma entrada?", perguntou. "Aqui está."

Motorista de caminhão, Gill foi voluntário da campanha do presidente americano e nao sabia o que fazer com a segunda entrada que ganhou em troca de seu trabalho até ver Mangan.

"É assim que a fé funciona", disse o engenheiro sorrindo. "Quando cheguei a Chicago, dei US$ 5 a um mendigo. Ele me disse 'Deus te abençoe', e assim foi."

Católico, Mangan brinca que uma intervenção divina será o fator determinante se Obama vencer a disputa contra Romney. "Quando ( George W. ) Bush ganhou em 2000, os fundamentalistas disseram que foi a vontade de Deus. Então brinco que foi Deus quem enviou a tempestade Sandy na semana passada para a costa leste dos EUA", afirmou.

O fenômeno, que atingiu o país com força de furacão, fez Obama e Romney cancelarem comícios em Estados-chave, mas garantiu mais visibilidade ao democrata pelo fato de ele ser o presidente.

Alem disso, o líder americano foi elogiado pelo governador de New Jersey, Chris Christie , e ganhou o apoio do prefeito de Nova York, Michael Bloomberg , pela forma como lidou com a crise. "O desempenho de Obama no terceiro debate e a tempestade Sandy o ajudaram a cortar o crescimento de Romney", disse.

O motorista de caminhão Gill, porém, não está tão confiante. Para ele, Obama só vai vencer se os republicanos não roubarem a votação. "Há filas imensas no Estado de Ohio. O motivo é que os republicanos deixaram sem um número suficiente de urnas distritos eleitorais onde há muitos democratas. Isso é uma tentativa de desestimular e suprimir o voto", acusou.

De qualquer forma, Gill também recorre a Deus para desejar que Obama vença nesta terça. "Tomara que sim, se Deus quiser", afirmou.

Ele tem um motivo especial para ter fé. Morador de Chicago, frequentou a mesma igreja que Obama na decada de 1980, quando era adolescente. "Eu devia ter uns 16 anos, e hoje ele nem deve se lembrar de mim", disse. "Nunca poderia imaginar que teria conhecido o presidente dos EUA."

    Leia tudo sobre: eleição nos euaeuachicagoobamaromney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG