Avó queniana de Obama reza para que o neto vença as eleições

Cidade queniana onde vive Sarah se prepara para acompanhar as eleições nos EUA em telão, com ingressos custando US$ 12

iG São Paulo |

Sarah Obama, a avó paterna do presidente Barack Obama deixou nesta terça-feira a reclusão de sua casa, no povoado queniano de Kogelo, para falar por alguns minutos com a imprensa. 

"Eu rezo por ele, para que Deus o ajude", afirmou durante a coletiva improvisada no jardim de sua casa. "É uma disputa dura, por isso tenho rezado por ele. Se for a vez dele ( vencer ), Deus o deixará triunfar", acrescentou.

Veja o especial do iG sobre a eleição nos EUA

Reuters
Sarah Obama é a terceira esposa do avô do presidente Barack Obama; ela vive no Quênia

iG em Chicago: Nesta terça, Obama joga basquete e Romney segue em campanha 

Sarah, que fez 90 anos este ano, é a terceira esposa do avó paterno de Barack Obama. Ela não tem laços cosanguíneos com o presidente americano, mas ele a chama de "Mama Sarah" e a considera sua avó. 

Desde a eleição do neto, ela vive sob proteção policial 24 horas por dia. Kogelo é uma localidade em meio a colinas e a 60 km de Kisumu, a principal cidade no oeste do Quênia.

Entenda como funcionam as eleições americanas
Entenda como funciona o Colégio Eleitoral americano

Kongelo se prepara

Os moradores da cidade onde vive Sarah mudou radicalmente de aspecto desde 2008 e a noite desta terça-feira promete ser longa para seus habitantes, que vão acompanhar ansiosos a eleição nos EUA para ver qual será o destino do seu ídolo americano.

Obama agradece voluntários e parabeniza Romney por 'campanha animada'

Já na estrada que leva a Kogelo, que se encontra em meio a colinas e a 60 km do lago Victoria, uma placa convida as pessoas a ir ao Kogelo Village Resort, um dos principais hotéis do povoado, que vai transmitir ao vivo a noitada eleitoral. "Vejam a eleição presidencial de 2012 num telão", afirma a propaganda.

Apesar de a entrada mais barata custar cerca de US$ 12 - ou seja, o salário de um jornaleiro em uma semana -, muita gente está disposta a assistir à transmissão ao vivo das eleições. "Vou ver as eleições durante toda a noite", afirma Mary Manyala Ohito, funcionária do setor sanitário. "Custa caro, mas vale a pena", acrescenta.

Também haverá um telão no pátio de uma escola próxima, mas poucos moradores terão acesso a essa transmissão. "Houve muitas mudanças no povoado", afirma Dorothy Babu, que dirige o Kogelo Village Resort. "Agora temos água, eletricidade e um posto da polícia."

Mary Manyala Ohito também assinala a recente chegada ao povoado de moto-táxis e acha que o serviço médico melhorou. No entanto, o aumento do número de turistas foi inferior ao que se previa em 2008.

Há quatro anos, os amigos e parentes da família Obama em Kogelo receberam com cantos e danças sua eleição como primeiro presidente negro dos Estados Unidos, e o governo queniano declarou o dia feriado para celebrar o histórico evento.

"Isso mudará muitas vidas, não apenas aqui, mas em todo o mundo", afirmou Sarah Obama, depois da eleição em 2008.

*com AFP

    Leia tudo sobre: eleição nos euaobamaromneysarah obamaavó obamaquênia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG