Síria tem dia violento com atentados a bomba e ataques aéreos

Observatório Sírio para Direitos Humanos registra mais de 50 mortes em confrontos espalhados pelo país

iG São Paulo |

A Síria registrou nesta segunda-feira grandes bombardeiros aéreos promovidos pelo exército, diversos atentados suicidas, sendo um na capital Damasco, e ataques com morteiro na região norte do país, neste que pode ser considerado o dia mais violento desde o fracassado cessar-fogo promovido durante um feriado muçulmano no final de outubro. Apesar da  disparidade entre o número de vítimas divulgados por ativistas e pela imprensa estatal, estima-se que mais de 50 pessoas morreram.

Veja também: Governo da Síria anuncia cessar-fogo de quatro dias durante feriado

AP
Foto mostra cena de atentado suicida na capital Damasco

Segundo fontes oficiais, um dos atentados suicidas foi realizado na região central da Síria, na cidade de Hama, perto de um prédio estatal. A explosão deixou dois mortos e dez feridos, de acordo com a agência de notícias Sana. Um grupo ativista, porém, disse que o ataque foi contra um posto de controle do exército e o número correto seria 50 vítimas.

Relatos apontam que um carro-bomba equipado com cerca de uma tonelada de explosivos foi detonado próximo ao Centro para Desenvolvimento Rural de Hama. O diretor do Observatório Sírio para Direitos Humanos, Rami Abdul Rahman, afirmou que o prédio era "o lugar com maior número de soldados e milícias leais ao governo" do presidente Bashar al-Assad na região.

Leia também: Aviação síria intensifica ataques na região de Damasco

Em outro atentado suicida, uma bomba explodiu no movimentado bairro de Mezzeh 86, na capital Damasco, deixando ao menos quatro mortos e 20 feridos, segundo a agência Sana. Moradores da região, com alta concentração de alauitas - etnia islâmica do presidente Assad -, disseram que muitos prédios foram danificados e que estilhaços foram encontrados a mais de 500 m do local da explosão.

O grupo rebelde Aisha assumiu a autoria do ataque, que tinha como alvo milicianos ligados ao exército da Síria.

Ataque aéreo

Como resposta aos atentados, as forças aéreas da Síria intensificaram os ataques aéreos e de artilharia nos distritos ao sul da capital Damasco, incluindo um campo para refugiados da Palestina. A agência de notícias AFP afirma que mais de 30 pessoas foram mortas na região. Segundo uma testemunha, um morteiro foi lançado pelo exército sírio atingiu um microônibus e deixou sete mortos.

Ativistas também divulgaram a morte de 20 rebeldes durante um bombardeio na cidade de Harim, no norte da Síria e próxima à fronteira com a Turquia.

O conflito sírio, que já dura mais de 16 meses, registra um número alarmante de 36 mil vítimas, entre rebeldes, tropas leais ao presidente Assad e civis. Os esforços para interromper a guerra, encabeçados pelo enviado especial da Liga Árabe, Lakdhar Brahimi, não surtiram efeitos.

Com BBC e Reuters

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG