Muçulmanos protestam em Cairo e clamam por lei islâmica

Apesar de a Irmandade Muçulmana não ter participado da manifestação, cerca de mil islâmicos salafistas tomaram a praça Tahrir

iG São Paulo |

Cerca de mil muçulmanos protestaram em Cairo nesta sexta-feira e pediram pela implementação da lei islâmica Sharia. Reunidos na praça Tahrir, tradicional palco de manifestações no Egito, salafistas gritavam palavras de ordem quase dois anos após a queda do presidente Hosni Mubarak.

Saiba mais: Egito comemora um ano da revolta contra Mubarak

O comparecimento na manifestação de sexta-feira foi menor do que o esperado depois de alguns dos principais grupos que defendem a escola ultraconservadora salafista recuarem. Alguns grupos disseram que iriam protestar na próxima sexta-feira.

AFP
Muçulmanos salafistas tomam a praça Tahrir, tradicional ponto de manifestações em Cairo, no Egito

A Irmandade Muçulmana, que levou o presidente Mohamed Mursi ao poder no início deste ano e que tem uma abordagem menos conservadora, também não estava envolvida no protesto.

Rascunhos da Constituição elaborada pela Assembléia até o momento indicam que haverá mais referências islâmicas do que a constituição anterior, preocupando os egípcios liberais e cristãos, que compõem cerca de um décimo da nação de 83 milhões de pessoas. Eles temem a imposição de restrições sociais.

As discordâncias giram em torno de temas diversos, tais como o estatuto da mulher, as convenções internacionais sobre os direitos Humanos e o papel da instituição teológica sunita Al Azhar.

Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: MUNDOEGITOPROTESTO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG