Tempestade Sandy começa a se dissipar na região dos Grandes Lagos, diz boletim

Serviço de Previsão de Hidrometeorológica dos Estados Unidos mantém alerta para ventos fortes e risco de enchentes, mas afirma que tempestade já perdeu força

iG São Paulo |

A tempestade Sandy começa a se dispersar à medida que se aproxima da região dos Grandes Lagos, na divisa entre o Canadá e os Estados Unidos, após entrar em contato com chamados "centros de cirulação", segundo órgãos oficiais. Desde sua passagem pelo Caribe na semana passada e quando tocou Nova Jersey e Nova York em seu momento mais forte, o que antes era chamado de furacão pelos meteorologistas deixou ao menos 120 mortos, prejuízos econômicos e uma trilha de devastação.

Leia também: Após tempestade, costa leste dos EUA tenta voltar à vida normal

Galeria: Veja imagens da passagem da tempestade Sandy pelos EUA

AP
Região sul de Chicago, banhada por um dos braços da cadeia conhecida como Grandes Lagos, pode sofrer com enchentes

Em boletim emitido na tarde desta quarta-feira, o Serviço de Previsão de Hidrometeorológica dos Estados Unidos indicou que a tempestade já havia diminuído de potência, mas ainda é preciso ter cuidado. "Se mantêm as advertências de vendavais para regiões dos Grandes Lagos e as advertências para as embarcações pequenas em grande parte do litoral norte do Atlântico."

Serviço: Tempestade Sandy cancela voos entre Brasil e EUA pelo quarto dia consecutivo

De acordo com relatórios, as ressacas produzidas pela passagem de Sandy pela costa leste americana já começaram a ceder. Porém, com a permanência de fortes ventos na região dos Grandes Lagos, estados como Michigan, Illinois, Indiana, Ohio, uma pequena parte da Pensilvânia, Nova York, Wisconsin e Minnesota ainda podem sofrer com enchentes. O território canadense de Ontario também está em estado de alerta.

Aos poucos, vida normal

Moradores da costa leste começaram a tentar voltar à vida normal nesta quarta-feira, com a reabertura de alguns dos serviços que permaneceram fechados desde domingo.

Mas em Nova York, apesar de alguns ônibus terem voltado a circular e a Bolsa de valores ter reaberto após dois dias fechada, moradores e autoridades têm a certeza de que levará dias até que a cidade volte ao ritmo frenético de sempre. Recuperar as comunidades mais atingidas e as redes de transporte que ligam umas as outras deve levar ainda mais tempo.

"Vamos sobreviver a cada dia fazendo o que fazemos em tempos difíceis: permanecendo juntos, ombro a ombro, prontos para ajudar nossos vizinhos, confortar um estranho e colocar a cidade que amamos de pé novamente", afirmou o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg.

Nesta quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitará Nova Jersey, onde a tempestade Sandy tocou a terra na noite de segunda-feira, antes de causar mais de 40 mortes e deixar mais de oito milhões sem energia na costa leste. A seis dias da eleição presidencial, Obama cancelou eventos de campanha pelo terceiro dia consecutivo. Seu rival, o republicano Mitt Romney , deve retomar a campanha normalmente nesta quarta-feira, na Flórida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG