Explosões na capital da Síria mata 8 civis e deixa dezenas de feridos

Uma explosão também foi registrada próxima a um tradicional ponto de peregrinação xiita; em Aleppo, no norte do país, 37 mortos em dia violento

iG São Paulo |

Aviões do exército da Síria bombardearam bairros na periferia da capital Damasco nesta quarta-feira, deixando ao menos oito mortos e dezenas de feridos. Uma explosão também foi registarada próxima ao tradicional mausoléu xiita de Sayida Zeinab, informaram ativistas do Observatório Sírio de Direitos Humanos, baseado em Londres. Outras entidades apontam um número superior de mortos: ao menos 17.

Veja também:  Rebeldes matam general da força aérea síria durante ataque

A agência de notícias estatal Sana confirmou que forças ligadas ao presidente Bashar Al-Assad estavam por trás dos bombardeios, mas não especificou o número exato de vítimas. 

AP
Imagem captada pela rede de notícias Shaam mostra área bombardeada na capital Damasco

O atentado ocorre apenas dois dias depois do término da trégua temporária, articulada pelo mediador internacional, Lakhdar Brahimi, por ocasião da Festa do Sacrifício, tradicional feriado muçulmano. O cessar-fogo, porém, foi desrespeitado por ambas as partes.

Em Aleppo, uma das cidades mais afetadas pela guerra, e no entreposto de Maarat Al-Numan, importante rota de armas e mantimentos para os dois lados, confrontos entre rebeldes e forças leais a Assad causaram ao menos 37 mortes, dizem ativistas.

China e Rússia

Brahimi se reuniu com o ministro das Relações Exteriores da China, Yang Jiechi, e pediu para que o país ajude a acabar com o conflito que já dura 16 meses. Segundo a agência estatal chinesa Xinhua, o mediador internacional para a crise na Síria detalhou a Jiechi um novo plano que está sendo elaborado para tentar colocar um fim à violência na região.

China e Rússia vetaram resoluções propostas pelo Conselho de Segurança da ONU, que pede a saída do presidente Bashar Al-Assad.

Ataque aéreo

Desde a última semana, o governo sírio tem itensificado o uso de aviões a jato para bombardear regiões próximas à Aleppo e Damasco.

Na terça-feira, um oficial do alto escalão das forças aéreas da Síria foi morto após um ataque no bairro Rukn al-Din, na capital Damasco. De acordo com a rede de televisão estatal Sana, o general Abdullah Mahmoud Al-Khalidi foi surpreendido por militantes rebeldes e morreu a caminho do hospital.

Este foi o segundo atentado contra um oficial graduado do exército leal ao presidente Bashar Al-Assad nos últimos meses. Em julho, uma explosão matou o ministro de Defesa da Síria, Assef Shawkat.

"Como parte de uma campanha para eliminar autoridades e membros do exército, grupos terroristas assassinaram o general Abdullah Mahmud Al-Khalidi em Damasco", dizia o comunidado oficial da televisão estatal.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG