Analistas afirmam que governo deverá gastar cerca de R$ 70 bilhões para recuperar áreas mais atingidas na costa leste dos Estados Unidos

Após atingir uma das áreas mais densamente habitadas dos Estados Unidos na noite de ontem, com reflexos ainda sendo sentidos durante toda esta terça-feira, a tempestade Sandy pode trazer prejuízos financeiros estimados entre US$ 10 e 20 bilhões para os cofres públicos (aproximadamente R$ 20,6 e 41,2 bilhões).

Leia também: Obama declara 'zona de desastre' em NY e Nova Jersey por Sandy

Galeria: Veja imagens da passagem da tempestade Sandy pelos EUA

O furacão Katrina, o maior desastre natural da última década na história americana, deixou um rastro de destruição calculado em US$ 100 bilhões.

Foto registra invasão de ondas na região de Atlantic City (29/10)
AP
Foto registra invasão de ondas na região de Atlantic City (29/10)

As estimativas são da empresa Eqecat, especializada em prejuízos causados por desastres naturais como furacões, tornados, nevascas e enchentes. De acordo com Peter Morici, estudioso da área Universidade de Maryland, será necessário um investimento em torno de R$ 75 bilhões para o governo recuperar os pontos mais atingidos.

Ao todo dez estados declararam situação de emergência, sendo a maioria deles na região norte da costa leste dos Estados Unidos. Os maiores danos, porém, foram registrados nas cidades de Nova York e Nova Jersey, classificadas como "zona de desastre" pelo presidente Barack Obama. Com a medida, governos e comunidades locais podem solicitar com urgência recursos do governo federal para enfrentar as consequências da tempestade, que deixou mais de 6 milhões de pessoas sem eletricidade.

Somente o PIB da região de Nova York e Washington representa cerca de 2,5 trilhões de dólares de toda a economia americana, ou cerca de 10 bilhões de dólares por dia, segundo Mark Zandi, economista-chefe da Moody's Analytics, em declaração à agência Reuters.

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, afirmou nesta terça-feira que levará dias para que a vida na cidade seja normalizada após a passagem da tempestade. De acordo com Bloomberg, o sistema de metrô, atingido por danos sem precedentes, continuará fechado por "quatro ou cinco dias" e as escolas não abrirão na quarta-feira. "Essa tempestade foi devastadora, talvez uma das piores que já vivemos", afirmou.

A bolsa de valores de Nova York está há dois dias sem funcionar. Essa é a primeira vez que isso acontece desde 1888, quando uma grande nevasca paralizou o centro financeiro dos Estados Unidos.

Pensilvânia

A supertempestade Sandy tocou o solo próximo a Nova Jersey com ventos de até 130 km/h e muita chuva. As enchentes registradas em quase todas as cidades à beira do Oceano Atlântico foram causadas também pela subida da maré e pelas ondas de até seis metros que atingiram a região da costa leste.

Segundo relatos, a tempestade move-se com velocidade reduzida e levemente enfraquecida para a capital da Pensilvânia, Filadéldia. Depois, ela deve mudar de rumo e se dirigir ao norte dos Estados Unidos, passando novamente por uma parte do estado de Nova York até chegar ao Canadá.

Evan Gold, vice-presidente sênior da Planalytics, uma consultoria de Filadélfia para questões relacionadas ao clima, está pessimista com a recuperação da cidade após a passagem da tempestade.

"Se os consumidores desta parte do país estão gastando centenas, se não milhares de dólares para comprar coisas como geradores, ou depois da tempestade para fazer a limpeza, então é provável que cortem quaisquer orçamentos que as pessoas pudessem ter para as compras de fim de ano", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.