Nova York levará dias para voltar à vida normal após tempestade, diz prefeito

Bloomberg afirma que metrô seguirá fechado por 'quatro ou cinco dias' e que escolas não abrirão na quarta-feira por causa de Sandy, que deixou mais de 40 mortos na costa leste

iG São Paulo | - Atualizada às

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, afirmou nesta terça-feira que levará dias para que a vida na cidade seja normalizada após a passagem da tempestade Sandy . De acordo com Bloomberg, o sistema de metrô, atingido por danos sem precedentes, continuará fechado por "quatro ou cinco dias" e as escolas não abrirão na quarta-feira. "Essa tempestade foi devastadora, talvez uma das piores que já vivemos", afirmou.

AP
Danos causados por incêndio durante a passagem da tempestade Sandy por Breezy Point, Nova York (30/10)

Sandy deixou ao menos 10 mortos apenas em Nova York - mais de 40 em toda a costa leste -, além de cortes de energia que ainda atingem pelo menos 750 mil moradores da cidade. O sistema de transporte público está fechado desde domingo e Bloomberg disse esperar que alguns ônibus possam voltar a circular ainda nesta terça-feira. Uma retomada completa do serviço, porém, está sendo estudada para quarta-feira.

Leia também:  Obama declara 'zona de desastre' em Nova York e Nova Jersey 

Aeroportos: Tempestade Sandy volta a cancelar voos entre Brasil e EUA

Galeria: Veja imagens da passagem da tempestade Sandy pelos EUA

TV iG: Veja todos os vídeos sobre a tempestade Sandy nos EUA

De acordo com Bloomberg, mais de 6,1 mil pessoas estão em 76 abrigos. O incêndio que destruiu mais de 80 casas durante a noite em Breezy Point, no Queens, foi controlado. "Parecia um incêndio florestal no meio-oeste", comparou o prefeito, dizendo que outros 23 grandes focos de fogo foram registrados na cidade.  Por causa da passagem de Sandy, o presidente dos EUA, Barack Obama, declarou zona de desastre nas regiões de Nova York e Nova Jersey. A medida permite que governos e comunidades locais solicitem com urgência recursos do governo federal para enfrentar as consequências da tempestade. No momento, o centro de Sandy se aproxima da Filadélfia.

De acordo com comunicado da Casa Branca, fundos federais estão disponíveis para os condados do Bronx, Kings, Nassau, Nova York, Richmond, Suffolk e Queens, todos na região de Nova York. Em Nova Jersey, a medida se refere aos condados de Atlantic, Cape May, Essex, Hudson, Middlesex, Monmouth, Ocean e Union.

A supertempestade Sandy chegou aos EUA na noite de segunda-feira com ventos de 130 km/h, tocando o solo em Nova Jersey, causando inundações e cortes de energia na região de Nova York. Sandy perdeu o status de furacão pouco antes de tocar a terra, mas a distinção é meramente técnica, definida com base na forma e na temperatura interna da tempestade.

Veja a trajetória de Sandy:

A Bolsa de Nova York permaneceu fechada nesta terça-feira, na primeira vez em que o fechamento aconteceu por dois dias consecutivos desde 1888, quando uma nevasca atingiu a cidade. As autoridades afirmam, no entanto, que o principal centro financeiro do país deve reabrir na quarta-feira. O nível do mar chegou a 4 metros em Manhattan, inundando o distrito financeiro e os túneis do metrô.

Os dois maiores aeroportos de Nova York estão fechados desde domingo e mais de 12 mil voos foram cancelados . Segundo o governador do estado, Andrew Cuomo, o aeroporto de La Guardia deve permanecer fechado nesta quarta-feira. Já o aeroporto JFK "provavelmente abrirá a partir de amanhã (quarta)", disse Cuomo.

Mais de 200 pacientes - incluindo 30 recém-nascidos que estavam na UTI - tiveram de ser transferidos do Hospital da Universidade de Tisch em Nova York após a energia cair e o gerador falhar. Os pacientes, muitos usando respiradores que funcionavam a bateria, foram levados a outros hospitais.

A usina nuclear mais antiga dos EUA, Oyster Creek, em Nova Jersey, entrou em estado de alerta por causa da tempestade. A instalação estava fechada desde 22 de outubro por causa de uma troca de combustível programada com antecendência, mas o aumento das águas na instalação, que fica perto da Baía de Barnegar, levou as autoridades a declarar "evento incomum" por volta das 19h de segunda-feira (horário local). Cerca de duas horas depois, a situação foi elevada para "alerta", o segundo nível mais baixo no sistema de avisos, que tem quatro níveis.

Até agora, porém, não há nenhuma ameaça à saúde pública ou à segurança. A agência afirmou que a expectativa é que a água recue em questão de horas na usina, que foi inaugurada em 1969 e deve fechar em 2019.

Com AP e informações do New York Times

    Leia tudo sobre: tempestade sandysandyfuracão sandyeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG