Declarações evidenciam diferenças entre Colômbia e Farc sobre acordo de paz

Presidente colombiano Juan Manuel Santos diz que grupo guerrilheiro deve se ater aos temas acordados em Oslo, capital da Noruega

iG São Paulo |

O governo da Colômbia e as Farc evidenciaram no sábado novas diferenças sobre os principais temas que serão discutidos em novembro, em Cuba, durante a negociação de paz entre as duas partes. A intenção é colocar o fim para o conflito interno que aflige a país sul-americano há quase cinco décadas.

Inicialmente, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) disseram em comunicado emitido desde Havana que, embora haja uma agenda definida, o preâmbulo do acordo permite tratar de questões sociais e políticas que são a causa do confronto.

AP
Líderes das Farc durante negociação em Oslo, na Noruega

Horas depois, no entanto, o presidente Juan Manuel Santos afirmou em um ato do governo que o êxito das negociações de paz dependerão em grande parte que as Farc cumpram com a agenda aprovada.

"Daqui a alguns dias vamos dar início às conversas com as Farc em Cuba, onde espero que se cumpra o que havia sido prometido, de se ater à agenda que se discutiu e assinou, e quem sabe assim poderemos dizer aos colombianos: há paz no país", afirmou o presidente.

Juan Manuel Santos fez referência às primeiras conversas realizadas entre membros do governo colombiano e os principais líderes das Farc em Oslo, na Noruega, há pouco mais de uma semana.

As duas partes concordaram em discutir políticas de desenvolvimento agrícola, garantias para o ex-combatentes da guerrilha colombia e sua futura participação na política nacional, além de o fim do conflito, a solução do tráfico de drogas e de compensações às vítima.

A rodada de negociações que será realizada em Havana em 15 de novembro vai tentar pôr fim a um histórico de fracassos na mesa de negociações.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: farccolômbiajuan manuel santosacordo de pazcuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG