Ministro da Justiça do Japão entrega cargo após escândalo com a máfia

Chefe do governo japonês, Yoshihiko Noda, se considerou "responsável" por ter "escolhido um ministro que não foi capaz de cumprir suas obrigações"

EFE |

EFE

O ministro da Justiça do Japão, Keishu Tanaka, entregou o cargo nesta terça-feira, a menos de um mês após sua nomeação, devido a vínculos passados com a máfia japonesa, conhecida como Yakusa. As informações são da rede de televisão pública NHK.

AP
Keishu Tanaka pede demissão após escândalo (arquivo)

Tanaka, de 74 anos, renunciou após uma onda de críticas por ter admitido que contribuiu para organizar o casamento de um membro da Yakusa, há 30 anos, e que compareceu a uma festa oferecida pelo líder de uma facção da rede criminosa.

Antes do escândalo, no entanto, o ex-ministro já era contestado por ter recebido entre 2006 e 2009 cerca de 420 mil ienes (cerca de 10 mil reais) em doações políticas de um cidadão estrangeiro, o que é ilegal no Japão.

Tanaka indicou que todo esse dinheiro foi devolvido, mas isso não conseguiu abrandar as críticas, que na semana passada aumentaram quando ele se ausentou de um painel de deliberações da Câmara Alta com o objetivo, segundo seus detratores, de esquivar-se de questionamentos.

Leia também:  Em clima de tensão, Japão e China celebram 40 anos de relações

Após aceitar a renúncia de Tanaka, o chefe do governo japonês, Yoshihiko Noda, se considerou "responsável" por ter "escolhido um ministro que não foi capaz de cumprir suas obrigações", ao tempo que assinalou que seu Gabinete "trabalhará duro" em suas responsabilidades.

A renúncia, no entanto, representa um novo revés para o governo de Noda, cuja popularidade se situava abaixo de 20% em pesquisas recentes. A oposição, de olho nos números, faz pressão para que as eleições sejam antecipadas.

Tanaka ocupava também o posto de ministro de Estado encarregado dos sequestros de cidadãos japoneses pela Coreia do Norte nas décadas de 1970 e 1980. O veterano político, que substituiu Makoto Taki, também de 74 anos, era o quarto ministro à frente da pasta de Justiça dentro do governo de Yoshihiko Noda.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG