Execução de preso conhecido como 'príncipe de Deus' é adiada nos EUA

John Errol Ferguson, de 64 anos, foi condenado pela morte de oito pessoas em Miami

EFE |

EFE

A execução do detento americano John Errol Ferguson, que padece de esquizofrenia paranóide e acredita ser o "príncipe de Deus", foi adiada para o próximo dia 23 de outubro, depois que a Corte Suprema da Flórida concluísse que ele tem capacidade mental para entender sua condenação.

Reprodução
John Errol Ferguson, "o príncipe de Deus", foi condenado à pena capital após matar oito pessoas

Ferguson, de 64 anos, foi condenado à pena capital pelo assassinato de oito pessoas em Miami, na década de 1970.

A nova ordem de execução foi assinada pelo governador da Flórida, Rick Scott. Segundo a programação inicial, Ferguson receberá em 23 de outubro uma injeção letal em uma prisão de Raiford, no norte da Flórida.

No entanto, seus advogados já anunciaram que apelarão da execução perante a Suprema Corte dos Estados Unidos com o argumento que seu cliente não tem capacidade para compreender sua situação e que sua execução seria inconstitucional.

A Suprema Corte decidiu que é inconstitucional executar um réu que não tenha capacidade mental.

Depois do adiamento da execução, prevista inicialmente para 16 de outubro, um painel de psiquiatras avaliou Ferguson, a pedido da defesa, e opinou que, ainda que acredite que é o "príncipe de Deus" e que ressuscitará, ele entende que será executado por causa do assassinato de oito pessoas.

Com EFE

    Leia tudo sobre: EUA JUSTIÇA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG