Republicanos criticam moderadora de segundo debate nos EUA

Partidários de Romney acusam Candy Crowley de ter favorecido Obama durante acalorada discussão sobre a Líbia

iG São Paulo |

A jornalista americana Candy Crowley, da CNN, foi criticada por políticos do Partido Republicano por sua atuação como mediadora do segundo debate entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e seu rival republicano, Mitt Romney . De acordo com partidários de Romney, Candy favoreceu o democrata em uma das mais acaloradas discussões entre os dois candidatos, sobre a Líbia.

Direto dos EUA: Obama e Romney protagonizam debate agressivo

Leia também:  Ataque a consulado na Líbia provoca debate acalorado

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre as eleições nos EUA

AP
A jornalista Candy Crowley, moderadora do segundo debate presidencial americano (16/10)

Durante o debate, Romney criticou Obama por ter levado 14 dias para qualificar como "terrorismo" o ataque que matou quatro americanos, incluindo o embaixador, no Consulado dos EUA em Benghazi. Obama respondeu que em 12 de setembro, dia seguinte ao atentado, ele se referoi ao episódio como "ato de terror". “Pegue a transcrição”, desafiou o presidente.

Quando a moderadora do debate, a jornalista Candy Crowley, da CNN, disse que o presidente de fato tinha chamado o episódio de “ato de terror” no dia seguinte ao ataque, Obama afirmou: “Diga isso um pouco mais alto, Candy”. Romney pareceu desconcertado, ainda que, depois, a moderadora lhe tenha dado razão ao dizer que outras autoridades americanas continuaram atribuindo o episódio aos protestos.

De acordo com a transcrição do pronunciamento de 12 de setembro, a fala exata de Obama foi: “Nenhum ato de terror jamais irá balançar a resolução dessa grande nação, alterar o caráter ou ofuscar a luz dos valores nos quais acreditamos”.

Em entrevista à CNN depois do debate, Candy disse que seu comentário foi "uma coisa natural que saiu". Mas republicanos presentes no auditório ficaram indignados. "Candy estava errada, não tinha nada que fazer isso e nem manteve o tempo (de fala de cada candidato) corretamente", disse John Sununu, ex-governador de New Hampshire e um dos mais inflamados partidários de Romney.

Outros republicanos ecoaram as críticas. "Em diferentes momentos nesta noite, ela de fato entrou no jogo, não ficou na linha lateral", disse Ron Kaufman, assessor de Romney.

Antes do debate, as duas campanhas já haviam manifestado preocupação com o papel ativo que Candy teria no debate, no qual eleitores indecisos fizeram perguntas diretamente aos candidatos. Os assessores temiam que ela fosse firme demais, ofuscando os espectadores selecionados para fazer as questões.

Pesquisas apontam Obama como vencedor do segundo debate, após um desempenho apático no primeiro, em 3 de outubro. Na ocasião, partidários de Obama acusaram o moderador Jim Lehrer, do canal público PBS, de ser passivo demais e de ter se deixado atropelar pela agressividade de Romney, apontado como vencedor.

Veja o vídeo da discussão sobre a Líbia (em inglês):

Com Reuters

    Leia tudo sobre: eleição nos euaeuaromneyobamadebate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG