Pressionado, Obama enfrenta Romney em segundo debate presidencial

Após desempenho apático no primeiro encontro, presidente americano tem de vencer o rival e recuperar campanha

iG São Paulo | - Atualizada às

O presidente dos Estados Unidos Barack Obama, está sob intensa pressão para ter um desempenho mais incisivo no segundo debate contra Mitt Romney , que será realizado nesta terça-feira na Universidade Hofstra, em Nova York, às 22h (horário de Brasília).

Obama, que buscará a reeleição em 6 de novembro, tentará corrigir a forma apática pela qual foi duramente criticado no primeiro debate . O confronto da terça-feira será no formato encontro com eleitores, em que pessoas indecisas podem fazer perguntas diretamente aos candidatos.

New York Times:  Em segundo debate, Obama tenta não repetir erros do primeiro

Entenda: Saiba mais sobre as propostas de Obama e Romney

AP
Republicano Mitt Romney e democrata Barack Obama, rivais na eleição presidencial americana

"Quase toda pressão desta vez estará sobre Obama, já que ele foi mal no primeiro debate e isso pareceu ajudar Romney e alterou a disputa", disse Andrew Taylor, cientista político da Universidade Estadual da Carolina do Norte. "Obama precisa endireitar o barco e injetar confiança nos democratas novamente", afirmou.

O debate de 3 de outubro marcou o início de uma fase de crescimento de Romney nas pesquisas, e os dois candidatos agora aparecem empatados nos levantamentos nacionais de intenções de voto. A pesquisa diária Reuters/Ipsos da segunda-feira mostrou Obama com 47% e Romney com 45%, em situação de empate técnico.

Obama e sua assessoria prometem um candidato mais engajado nos 90 minutos do debate. O formato de encontro com eleitores, segundo especialistas, inibe ataques duros entre os candidatos, por causa do risco de soar agressivo com o eleitor que fez a pergunta.

"(Esse formato) permite que eles falem diretamente para as pessoas, olhem-nas nos olhos e tentem se conectar, o que não tem sido um ponto forte para nenhum deles", disse Taylor. "Mas é possível fazer pontos fortes com uma luva de pelica. É possível ser incisivo sem parecer duro ou antagonista demais."

Obama foi criticado depois do último debate por não ter conseguido contestar as propostas de Romney para impostos, saúde e empregos, e democratas acusaram Romney de esconder suas posições mais conservadoras.

Jen Psaki, porta-voz da campanha de Obama, disse que o presidente "vai ser firme, mas respeitoso ao corrigir os fatos nas vezes em que esperamos que Mitt Romney irá esconder e distorcer suas próprias políticas".

Obama e Romney se afastaram dos compromissos públicos para se prepararem para o segundo dos três debates. O último será na próxima segunda-feira, 22 de outubro, em Boca Raton, na Flórida, tratando exclusivamente de política externa.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: eleição nos euaromneyobamadebateeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG