Exército da Nigéria mata 24 supostos terroristas após onda de ataques

Forças de segurança lançaram ataque na cidade de Maiduguri, redeuto do grupo radical islâmico Boko Haram

EFE |

EFE

O exército da Nigéria informou nesta terça-feira que matou 24 supostos membros do grupo radical Boko Haram, após repelir uma onda de ataques na cidade de Maiduguri, reduto dos militantes terroristas.

Veja também: Atirador abre fogo contra mesquita na Nigéria e deixa 12 mortos

"Supostos terroristas do Boko Haram cometeram ataques com lança-granadas, artefatos explosivos improvisados e disparos em diferentes lugares de Maiduguri na segunda-feira pela noite", afirmou o porta-voz do exército na região, o tenente-coronel Sagir Moussa.

AP
Imagem mostra prédios danificados em Maiduguri, palco de combates entre o exército nigeriano e militantes do Boko Haram (arquivo)

Até quinze explosões atingiram a cidade, o que obrigou muitos moradores a buscarem refúgio, embora não tenha sido registrado mortes de militares ou civis, informou Moussa.

Na operação contra os islamitas, o exército apreendeu diversas armas, incluídos sete fuzis AK-47 e uma metralhadora. Antes das explosões, pistoleiros suspeitos de serem membros do Boko Haram assassinaram um policial em Maiduguri.

Boko Haram, que significa em um dialeto local "a educação não islâmica é pecado", luta para impor a lei islâmica no país africano, de maioria muçulmana no norte e preponderância cristã no sul.

Leia também:  Exército abre fogo contra civis em cidade dominada por extremistas

Desde 2009, quando a polícia matou o líder do Boko Haram, Mohammed Yousef, os radicais iniciaram uma sangrenta campanha que já deixou 1.400 mortos, segundo a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW).

Com cerca de 170 milhões de habitantes divididos por mais de 200 grupos tribais, a Nigéria, o país mais populoso da África, sofre múltiplas tensões por suas profundas diferenças políticas, religiosas e territoriais.

    Leia tudo sobre: NIGÉRIA VIOLÊNCIA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG