Médicos vão avaliar condições da estudante Malala Yousufzai para possível transferência

Reuters

Mulheres mostram fotos de Malala durante protesto em Lahore
AP
Mulheres mostram fotos de Malala durante protesto em Lahore

Os Emirados Árabes enviaram uma equipe médica para retirar do Paquistão a menina baleada pelo Taliban , caso seja decidido tratá-la no exterior, disse a agência de notícias daquele país neste domingo.

Segundo a agência, os médicos vão avaliar as condições da estudante Malala Yousufzai, de 14 anos, e, se for o caso, facilitar a sua transferência para um hospital fora do Paquistão.

Yousufzai, de 14 anos, deixava a escola na sua cidade no noroeste do Paquistão, quando foi baleada na cabeça e no pescoço pelo Taliban por criticar os militantes e promover a educação de meninas.

Infográfico: Saiba mais sobre as mulheres no mundo árabe e muçulmano

Um porta-voz da embaixada paquistanesa nos Emirados Árabes afirmou que os Emirados haviam enviado uma ambulância aérea para o Paquistão, mas que uma decisão a sobre a transferência da menina ainda não havia sido tomada.

O ataque contra Yousufzai provocou a condenação de líderes mundiais e da população do Paquistão. A menina está sendo tratada num hospital militar.

O xeque Mohammed bin Zayed al-Nahyan, príncipe de Abu Dhabi, afirmou que o ataque tem que ser "denunciado universalmente".

"O ataque não foi só contra uma criança indefesa, foi contra o direito dela e de todas as meninas de ter um futuro que não seja limitado por preconceito e opressão", disse o príncipe, de acordo com a agência de notícias dos Emirados Árabes.

(Por Mahmoud Habboush e Praveen Menon)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.