Conselho de Segurança da ONU reduz missão de paz no Haiti

Presença das tropas foi aprovada para mais um ano em meio a controvérsias e aumento da tensão com haitianos

iG São Paulo |

O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta sexta-feira a renovação por mais um ano da missão de paz no Haiti, mas reduziu seu tamanho em cerca de 15%, enquanto repassa a responsabilidade da segurança a forças nacionais do país caribenho.

Leia também:  Mais de dois anos após tremor, casa ainda é sonho para muitos haitianos

Saiba mais:  ONU confirma brasileiro como novo chefe da missão de paz no Haiti

AP
Crianças brincam em Porto Príncipe, capital do Haiti


O conselho, formado por 15 nações, aprovou por unanimidade uma redução das forças autorizadas em 1.710 oficiais, para 8.871 tropas e policiais, como recomendado pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Atualmente há aproximadamente 10.000 integrantes das forças de paz da ONU no Haiti, e Ban recomendou uma retirada gradual a ser concluída em junho de 2013.

Especial:  Dois anos após terremoto, construção de novo Haiti continua no papel

O Haiti ainda se esforça para se recuperar de um forte terremoto em janeiro de 2010 que matou cerca de 300 mil pessoas e deixou mais 1,5 milhão de desabrigados.

A missão de paz chegou ao Haiti em 2004, após a queda do então presidente Jean-Bertrand Aristide, e ajudou a estabilizar o país desde então. Entretanto, as tensões entre as tropas e alguns haitianos cresceram ao longo dos anos.

Autoridades da área da saúde afirmaram que uma unidade de tropas vindas do Nepal foram responsáveis por introduzir a cólera no Haiti em outubro de 2010 . A doença infectou mais de 588 mil haitianos e matou 7,5 mil.

Em março, juizes de um tribunal militar paquistanês foram ao Haiti par ajulgar dois soldados paquistaneses que foram considerados culpados por estuprar um garoto na cidade de Gonaives, em janeiro. Os dois foram exonerados e sentenciados a cumprir um ano de prisão no Paquistão.

Seis soldados uruguaios também foram acusados de estuprar um rapaz de 19 anos no Haiti este ano.

Com Reuters e AP

    Leia tudo sobre: DEonuhaitimissão de paz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG