Após sair da prisão, espanhol encontra cadáver da esposa mumificado

Juiz de Ciempozuelos, cidade próxima a Madri, havia negado pedido para averiguar mau cheiro que saía do imóvel

EFE |

EFE

Um cidadão espanhol encontrou o cadáver mumificado de sua esposa em casa após ter deixado a prisão. Ele havia alertado as autoridades que há mais de um ano não tinha qualquer tipo de informação sobre ela.

Identificada como Angeles Fernández, a mulher morreu em seu domicílio, situado em Madri, sem que ninguém sentisse sua falta - exceto o marido, que estava na prisão.

A Prefeitura do município de Ciempozuelos, onde a casa é localizada, informou nesta terça-feira que um juiz negou em várias ocasiões a permissão de entrada no imóvel, que, aparentemente, havia sido abandonado.

Leia também: Britânico se torna a primeira pessoa a ser mumificada em 3 mil anos

Segundo a fonte, o magistrado não atendeu aos pedidos feitos pela polícia local, que queria averiguar o mau cheiro que saía da casa, e nem o do próprio marido. Na ocasião, o juiz alegou que o marido da falecida, identificado como Eduardo R., não tinha autorização para entrar no domicílio "por não ter mais relação com sua esposa", além de querer evitar possíveis problemas "devido a sua situação de presidiário".

O marido, que saiu da prisão com uma permissão na última semana, se dirigiu diretamente à casa e encontrou o cadáver da esposa. De acordo com a Guarda Civil, o cadáver mumificado estava sobre a cama e não apresentava sinais de violência, embora as causas da morte ainda sejam desconhecidas.

    Leia tudo sobre: espanhapolíciamúmiamadri

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG