Governo das Filipinas anuncia acordo prévio com grupo muçulmano rebelde

Pacto será assinado em Manila e estabelece a criação de uma nova região autônoma nas áreas do sul do país

iG São Paulo | - Atualizada às

O governo das Filipinas e a Frente Moro de Libertação Islâmica (FMLI), maior grupo rebelde muçulmano do país, anunciaram neste domingo que fecharam um acordo prévio de paz que pode acabar com décadas de luta armada.

AP
O presidente das Filipinas, Benigno Aquino 3º, anuncia acordo em pronunciamento na TV

O presidente filipino, Benigno Aquino, disse que, embora ainda existam detalhes a serem definidos, "este acordo abre a via para alcançar uma paz definitiva e duradoura em Mindanao". O pacto, que ambas as partes assinarão nos próximos dias em Manila, estabelece a criação de uma nova região autônoma nas áreas do sul das Filipinas onde a comunidade muçulmana é maioria.

O acordo era negociado em Kuala Lumpur desde terça-feira passada por Marvic Leonen, por parte do Executivo filipino, e Mohagher Iqbal, chefe da equipe negociadora do FMLI. A Malásia começou a mediar estas negociações em 2000 e o processo se dividiu em três blocos: segurança (concluído), reabilitação (concluído) e terras ancestrais (em discussão).

Este último bloco, o da terras ancestrais, trata do território que a princípio o FMLI governará, seus limites, o sistema de governo e a divisão da exploração dos recursos naturais. Ambas as partes estabeleceram um cessar-fogo em agosto de 2001 e dois anos depois assinaram o Acordo Geral de Cessação de Hostilidades, embora os confrontos nunca tenham cessado de todo.

O FMLI nasceu de uma cisão do histórico Frente Moro de Libertação Nacional, quando este aceitou negociar uma solução que não fosse a independência, e foi constituído formalmente em 1984.

A organização conta com cerca de 12 mil militantes na atualidade. Quase quatro décadas de conflito étnico, religioso e tribal causaram milhares de mortos e cerca de dois milhões de refugiados em uma das áreas mais pobres das Filipinas.

Com EFE

    Leia tudo sobre: filipinasmuçulmanosfmli

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG