Clérigo radical Abu Hamza é extraditado para os Estados Unidos

Clérigo radical islâmico e outros quatro suspeitos de atos terroristas contra cidadãos americanos partiram em um jato da base aérea de Suffolk, no Reino Unido

iG São Paulo |

Um jato com destino aos Estados Unidos partiu do Reino Unido na noite desta sexta-feira com o clérigo radical islâmico Abu Hamza Al-Masri a bordo, junto com outros quatro suspeitos de atos terroristas. A troca da escolta foi realizada em uma base aérea no condado de Suffolk. Mais cedo, a Justiça britânica havia negado um recurso apresentado por Hamza para bloquear sua extradição por motivos de saúde.

AP
Viaturas com suspeitos de atos terroristas são levados à base aérea de Suffolk, no Reino Unido

Segundo a corte do Reio Unido, Babar Ahmad, Sayed Talha Ahsan, Adel Abdul Bary, Khaled Al-Fawwaz e o ex-líder religioso não apresentaram "motivos novos e convincentes" para evitar a extradição aos Estados Unidos, onde são acusados de terem participado de sequestros de turistas ocidentais no Iêmen, terem ajudado a erguer um acampamento de treinamento no estado de Oregon, além de financiarem jihadistas no Oriente Médio.

Segundo relatos da agência BBC, um jato que pertence às autoridades americanas já estava estacionado na pista de voo da base situada em Suffok desde terça-feira.

Leia também: Clérigo radical muçulmano Abu Hamza recorre de extradição para os EUA

A extradição de hoje coloca fim a um imbróglio judicial que teve início em 1998, quando o governo dos Estados Unidos pediu a mudança de custódia de Abu Hamza, também conhecido como Mustafa Kamal Mustafa, pela primeira vez.

Reuters
Foto de 1999 mostra Abu Hamza al-Masri em conferência em Londres

O clérigo radical Abu Hamza, que nasceu no Egito em 1958, foi durante muito tempo o imã da mesquista de Finsbury Park, em Londres. Atualmente, ele tem um gancho no lugar de sua mão direita e um olho de vidro depois que sofreu um acidente com uma mina terrestre no Afeganistão. Em 2004, ele foi condenado a sete anos de prisão no Reio Unido por incitação ao assassinato e ao ódio racial.

    Leia tudo sobre: euareino unidoextradiçãoabu hamzaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG