Turquia ataca postos militares na Síria após ser atingida por morteiro

Explosão na cidade fronteiriça de Akcakale matou ao menos cinco civis turcos e feriu dez

iG São Paulo |

Após ser atingida por um morteiro lançado a partir da Síria, o exército da Turquia revidou com projéteis de artilharia e atingiu cidades sírias próximas à fronteira entre as duas nações. De acordo com um pronunciamento feito pelo primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, nesta quarta-feira, o objetivo era anular postos de combatentes identificados nos radares das forças de segurança do país.

Reuters
Fumaça é vista na cidade turca de Akcakale, atingida por um morteiro sírio

Desde que a guerra entre rebeldes do Exército Sírio Livre e forças ligadas ao presidente Bashar Al-Assad estorou há 18 meses, cidades turcas próximas à fronteira foram atingidas em diversas ocasiões. O episódio de hoje, porém, foi o mais grave já registrado: um morteiro disparado a partir da Síria atingiu uma residência em Akcakale matando ao menos cinco pessoas, incluindo uma mulher e três crianças, e ferindo dez.

Não se sabe ao certo que lado foi o responsável pelo disparou do artefato, mas acredita-se que tenha sido lançado pelo exército leal ao presidente Assad.

Após o ataque, o ministro de Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, entrou em contato com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e membros da Otan na região. A entidade, porém, afirmou que não tem intenção em intervir na guerra da Síria, mas estaria preparada para auxiliar o exército turco assim que necessário.

Leia também: Explosões em Aleppo, na Síria, deixam 40 mortos e mais de 90 feridos

Em solidariedade ao primiê Erdogan, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, lamentou o caso. "Estamos enfurecidos com os ataques recentes da Síria na fronteira com a Turquia. Lamentamos as vidas perdidas na região", afirmou.

Alvo

A cidade de Akcakale já foi atingida ao menos três vezes somente na última semana. As autoridades locais aconselharam a população a não se aproximar da fronteira e ordenou que 100 escolas fossem fechadas na região. "As pessoas daqui estão com muita raiva da Síria", afirmou o prefeito local, Abdulhakim Ayhan, após dezenas de pessoas protestaram na frente da prefeitura.

Até o momento, cerca de 90 mil refugiados da Síria se instalaram em cidades fronteiriças na Turquia.

Leia mais: Refugiados sírios podem chegar a 700 mil até o fim do ano, diz ONU

Aleppo

Quatro explosões destruíram um bairro controlado pelo governo perto de um clube de oficiais militares no norte da cidade síria de Aleppo, matando pelo menos 40 pessoas e ferindo mais de 90 nesta quarta-feira, disseram ativistas da oposição.

Os ataques, com minutos de diferença entre um e outro, atingiram a praça principal Saadallah al-Jabiri e uma quinta bomba explodiu a algumas centenas de metros de distância, segundo a televisão estatal, nos arredores da Cidade Velha, onde rebeldes e forças leais ao presidente Bashar Al-Assad tem travado combates intensos.

    Leia tudo sobre: turquiasíriabashar al-assaderdoganotanonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG