Polícia prende seis após colisão de navios em Hong Kong

Tripulantes são acusados de operar navios de forma pouco segura e colocar vida de passageiros em risco; acidente deixou ao menos 38 mortos

iG São Paulo |

A polícia de Hong Kong prendeu seis tripulantes de duas embarcações cuja  colisão  deixou 38 mortos, no maior acidente marítimo do território em mais de uma década.

Segundo a polícia de Hong Kong, os membros da tripulação foram presos devido a suspeitas de que colocaram a vida de passageiros em risco, ao operar o navio de forma pouco segura.

AP
Balsa se chocou com um rebocador próximo a Hong Kong (01/10)


A embarcação Lamma IV afundou na segunda-feira, após colidir com uma balsa. A segunda embarcação envolvida no acidente conseguiu voltar ao porto sem danos graves. Apenas alguns passageiros tiveram ferimentos leves.

O Lamma IV levava mais de 120 pessoas para ver um show de fogos de artifício. A queima de fogos era parte das comemorações por um feriado de uma semana na China para marcar um festival de outono e a data da proclamação da República.

Mais de cem pessoas do barco que naufragou foram regatadas e levadas para hospitais nas imediações. A polícia ainda não sabe o número exato de pessoas que estava na embarcação no momento do acidente, mas está entrevistando sobreviventes para determinar se há mais desaparecidos.

Naufrágio rápido

A companhia de eletricidade Hong Kong Electric confirmou à BBC que era proprietária do barco que naufragou. Ele levava funcionários e familiares para assistir aos fogos em Victoria Harbour, um dos pontos mais conhecidos da cidade.

A outra embarcação era uma balsa operada pela Hong Kong and Kowloon Ferry, com cerca de cem pessoas a bordo.

AP
Balsa é rebocada por equipe após colisão no sul de Hong Kong


Um passageiro relatou o que aconteceu ao jornal local The South China Morning Post : "Após dez minutos de viagem, um barco bateu na parte de trás em alta velocidade. O barco começou a afundar. De repente, eu estava dentro d'água. Nadei e tentei agarrar uma boia", afirmou o homem. "Não sei onde estão meus dois filhos."

Testemunhas disseram que a embarcação afundou rápido. "Em dez minutos, o barco tinha afundado. Tivemos de esperar mais 20 minutos pelo resgate", disse outro homem.

O porto de Hong Kong é um dos mais movimentados do mundo, mas há poucos registros de acidentes com transporte de passageiros na região.

Com BBC Brasil

    Leia tudo sobre: hong kongbarcosacidenteacidente marítimo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG