Romney ataca Obama por baixo crescimento econômico no 2º trimestre

Candidato à presidência pelo Partido Republicano critica cortes realizados pelos democratas

EFE |

EFE

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, investiu nesta quinta-feira contra a gestão econômica de Barack Obama e afirmou que o baixo crescimento econômico do segundo trimestre é um sintoma do que já vem acontecendo "durante anos".

Durante um ato eleitoral com veteranos de guerra em Springfield, na Virgínia, Romney destacou um relatório divulgado hoje que revisou para baixo o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre deste ano, de 1,7% para 1,3%.

AP
Mitt Romney em campanha pela cidade de Springfield, Virginia

"Atualmente, a economia da Rússia está crescendo cerca de 4% por ano (...) o nosso acaba de ser revisado para baixo no último trimestre com 1,3% por ano, um quarto ou um quinto do ritmo da Rússia", afirmou Romney. "Este é um verdadeiro desafio para nós. E não é só um trimestre. Isto vem acontecendo durante anos", acrescentou o candidato republicano. Para ele, o plano de Obama "é uma continuação do velho plano" que não funciona, segundo sua opinião.

Segundo Romney, o plano do democrata reduz os fundos para as despesas militares, propõe outra medida de estímulo econômico que aumenta o déficit fiscal e o endividamento.

Leia mais: Obama aumenta vantagem sobre Romney em Estados-chave

Por se tratar de uma audiência militar, Romney atacou os cortes no Pentágono que serão iniciados em janeiro, a menos que o Congresso dos EUA tome medidas para evitá-los mediante um novo plano orçamentário. Os cortes, que chegariam a US$ 100 bilhões, afetariam severamente estados como a Virgínia, sede de várias bases militares.

O republicano fez essas declarações pouco depois da divulgação de um relatório sobre o crescimento do PIB feito pelo Departamento de Comércio, medindo a produção econômica do país. O estudo destacou que a economia cresceu a uma taxa anual de 1,3% entre abril e junho, ou seja, uma revisão para baixo em relação ao 1,7% que o governo divulgou no último mês de agosto.

Resposta

A campanha de Obama respondeu imediatamente aos ataques de Romney ao lembrar que os cortes propostos poderiam afetar os fundos destinados à Administração de Assuntos para Veteranos.

"Mitt Romney gostaria que os moradores da Virgínia se esquecessem de como descartou com desdém quase metade dos americanos, incluindo veteranos e membros ativos das Forças Armadas", disse em comunicado Gabriela Domenzain, porta-voz da campanha de Obama, se referindo a um vídeo que foi divulgado no último dia 17 pela revista "Mother Jones".

Nesse vídeo, gravado secretamente durante um jantar de Romney com doadores de sua campanha, o ex-governador se referiu desdenhosamente a "47%" dos cidadãos, os eleitores de Obama, aconteça o que acontecer, porque são "dependentes do Estado".

Faltando 40 dias para as eleições, tanto Romney como Obama tem eventos de campanha programados na Virgínia, um dos nove Estados-chave da disputa eleitoral.

    Leia tudo sobre: eleição nos euaobamaromney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG