Autoridades corrigem o número confirmado de mortos para oito e tentam apurar quantas pessoas exatamente participavam da expedição

Equipes de resgate sobrevoavam nesta segunda-feira as montanhas ao norte do Nepal em busca dos alpinistas que desapareceram em uma avalanche, que deixou ao menos oito mortos no domingo. As más condições climáticas tinham levado à suspensão de buscas iniciais, segundo informações da BBC .

Leia também:  Avalanche mata alpinistas e deixa desaparecidos no Himalaia

Vítimas são resgatadas e levadas para a base de atendimento na montanha Manaslu, no Himalaia
AP
Vítimas são resgatadas e levadas para a base de atendimento na montanha Manaslu, no Himalaia


Um policial afirmou que oito corpos e 10 pessoas feridas foram levadas da montanha Manaslu para a capital do Nepal, Kathmandu. Ele acrescentou que uma das pessoas estava gravemente ferida e poderia ter morrido em Kathmandu, mas que o óbito não havia sido confirmado.

A agência AP, por outro lado, diz que uma nona pessoa estava soterrada na área da avalanche. As primeiras reportagens confirmavam a morte de nove pessoas.

De acordo com jornalistas da BBC , a confusão quanto ao número de vítimas e as nacionalidades se deve às várias agências de viagem envolvidas na expedição. Segundo a polícia, o grupo estava acampado perto do cume, quando foi atingido por uma parede de neve por volta das 4h de domingo.

Leia também: Três alpinistas morrem ao descer do Monte Everest

O chefe da polícia local, Basanta Bahadur, afirmou à agência AFP que helicópteros com as equipes de resgate tinham aterrissado e que guias realizavam a busca pelos desaparecidos em terra.

Autoridades tentam determinar agora quantas pessoas exatamente participavam da expedição. Quatro dos mortos e três dos desaparecidos são franceses, informou o vice-presidente do sindicato dos guias de montanhas do país Christian Trommsdorff. Dois dos sobreviventes também são do país.

Os corpos de um guia do Nepal e de um alpinista alemão foram encontrados. Representantes do Ministério de Relações Exteriores da Espanha também confirmaram a morte de um espanhol. O outro morto, segundo a rede CNN, era italiano.

Um dos sobreviventes, Glen Plake, afirmou que "tinham 25 barracas no acampamento 3 e todas elas foram destruídas; 12 barracas no acampamento 2 foram arrastadas".

Alpinistas franceses (ao centro) após resgate de equipes nepalesas no alto do Manaslu, Himalaia
Reuters
Alpinistas franceses (ao centro) após resgate de equipes nepalesas no alto do Manaslu, Himalaia


Plake disse que ele perdeu alguns dentes da frente e ficou com o olho ferido depois de ter sido arrastado por 300 metros, segundo Trey Cook, o editor-chefe do EpicTV.com, que faz filmes de esportes radicais.

As más condições climáticas haviam interrompido as buscas no domingo. A expedição estava a 7 mil metros quando uma grande massa de neve e gelo atingiu o local de acampamento na manhã deste domingo, dia em que o grupo subiria até o cume do monte Manaslu, de 8.156 metros.

"A avalanche atingiu o acampamento 3 da montanha Manaslu... resultando em uma inundação de neve", disse Laxmi Dhakal, chefe da Defesa Civil do Nepal.

Com BBC, AP e CNN

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.