De acordo com Exército de Israel, homens armados abriram fogo contra tropas que faziam segurança dos trabalhadores que constroem cerca na região

Três supostos militantes armados atravessaram a fronteira de Israel vindos do Egito e mataram um soldado israelense, antes de serem mortos, informou o Exército de Israel nesta sexta-feira.

"Três terroristas armados cruzaram a fronteira para Israel e abriram fogo contra as tropas que faziam a segurança dos trabalhadores que estão construindo a cerca da fronteira na região. Eles (os agressores) estavam usando coletes à prova de balas e estavam bem armados e carregavam cintos com explosivos", disse a porta-voz militar, tenente-coronel Avital Leibovich.

Leia também:  Israel reforça combate ao terrorismo na Península do Sinai

Soldado israelense ferido é levado para hospital em Beersheva
AP
Soldado israelense ferido é levado para hospital em Beersheva


Ela disse que não tinha informações sobre a identidade e afiliação dos invasores, mas acrescentou que soldados de um batalhão militar misto estavam envolvidos no combate e "conseguiram frustrar um incidente maior".

Uma fonte da segurança egípcia disse que um dos agressores morreu quando uma bomba que estava carregando detonou e os outros dois foram mortos na troca de tiros com as forças israelenses, afirmando ainda que as nacionalidades dos atiradores não estavam imediatamente claras.

Em junho, militantes cruzaram a fronteira com Israel a partir do deserto do Sinai e dispararam contra israelenses que construíam a barreira na fronteira, matando um trabalhador, antes de soldados matarem dois dos agressores.

Israel está construindo uma cerca na fronteira para conter o influxo de imigrantes africanos e melhorar a segurança, esperando completá-la até o final do ano. A cerca irá percorrer a maior parte dos 266 quilômetros da fronteira, desde Eilat, no mar Vermelho, até a Faixa de Gaza.

Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.