Em meio a disputas judiciais, começa votação antecipada nos EUA

Idaho e Dakota do Sul são os primeiros Estados com votação presencial, prática contestada por republicanos que tende a favorecer democratas

iG São Paulo |

Ainda faltam sete semanas para as eleições presidenciais nos EUA - em 6 de novembro -, mas a votação presencial antecipada começa em dois Estados nesta sexta-feira, mesmo enquanto democratas e republicanos disputam na Justiça sobre os controversos planos para limitar o voto antes do dia da eleição.

Idaho e Dakota do Sul são os primeiros Estados a começar a votação antecipada presencial na sexta-feira, embora a Carolina do Norte já esteja aceitando cédulas pelo Correio desde 6 de setembro. Até o final de setembro, 30 Estados terão começado a votação presencial ou votação à distância (de pessoas que não comparecerão à sua seção eleitoral no dia da eleição), e, por fim, todos os Estados irão começar a registrar seus votos desta forma.

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre as eleições nos EUA

AP
Obama e Romney disputam arrecadação e eleitores para novembro (fotos de arquivo)

Grande parte do foco do período da votação antecipada será sobre os Estados politicamente divididos de Ohio e Flórida, que podem ser cruciais para decidir a disputa entre o presidente Barack Obama, do Partido Democrata, e o republicano Mitt Romney.

Os Estados também têm sido palco de batalhas judiciais em que os democratas alegam que leis propostas por republicanos tentam limitar os períodos de eleições antecipadas, a fim de conter o comparecimento às urnas da classe trabalhadora e de eleitores provenientes de minorias.

Tais eleitores representam uma grande porcentagem de pessoas que votam antes do dia da eleição, e eles tendem a apoiar os democratas. O voto à distância, popular entre os eleitores militares, tende a favorecer os republicanos.

Outras novas leis, também contestadas pelos democratas e grupos de direitos ao voto, se destinam a limitar o registro eleitoral e exigem que os eleitores mostrem identidades com fotos. Os republicanos dizem que as leis têm por objetivo evitar fraude eleitoral.

O esforço para limitar a votação antecipada veio após a agressiva campanha de Obama para conquistar esses votos, no início de 2008, o que deu impulso à sua vitória sobre o senador republicano John McCain - e mostrou o poder deste bloco do eleitorado.

Eleitores que votam antes do dia da eleição são particularmente cobiçados porque uma vez que eles votam, os candidatos podem direcionar seu foco para atrair eleitores indecisos.

A campanha de Obama de 2008 aperfeiçoou uma agressiva estratégia de focar nesses eleitores e realizar comícios nos Estados que iniciam a votação antecipada, para incentivar apoiadores a votar imediatamente em vez de esperar o dia da eleição.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: eleição nos euavotação antecipadaeuaobamaromney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG