Morrem dois soldados em ataque taleban contra base do príncipe Harry

Segundo as autoridades, 16 talebans também morreram no ataque

EFE |

EFE

AP
Príncipe Harry faz sinal de positivo em base militar de Helmand, no Afeganistão, para onde foi enviado

Dois soldados da missão da Otan no Afeganistão e 16 insurgentes morreram ontem à noite durante um ataque taleban contra a base Camp Bastion, na qual está desdobrado o príncipe Harry da Inglaterra.

Taleban diz que tentará matar príncipe Harry no Afeganistão

Leia também: Príncipe Harry é enviado para missões no Afeganistão

O ataque ocorreu nesta base do distrito de Washer, situado na conflituosa província de Helmand, um das fortificações tradicionais dos insurgentes, que atribuíram a ação a uma "vingança" pelo vídeo contra o profeta Maomé.

"Segundo nossa informação inicial, morreram dois soldados da Otan e 16 talebans, cujos corpos estão ainda nos arredores da base", relatou à Agência Efe o porta-voz provincial, Dawoud Ahmadi, cuja versão foi confirmada pela missão da Otan.

Os agressores usaram projéteis, granadas de mão e armas curtas e a missão da Otan no Afeganistão já iniciou uma investigação.

O ataque foi reivindicado por um porta-voz taleban, Mohammed Yousef Ahmadi, que disse ter causado um alto número de baixas entre os soldados estrangeiros e amplos danos materiais.

"Foi um ato de vingança contra o vídeo anti-islâmico realizado nos Estados Unidos", explicou o porta-voz taleban.

Os taleban exigiram vingança pelo vídeo sobre Maomé que gerou amplos protestos no mundo muçulmano, embora o governo afegão tenha bloqueado o YouTube para impedir sua difusão e nesta sexta-feira houve apenas pequenas manifestações de protesto no leste do país.

De acordo com a televisão britânica, em Camp Bastion está o príncipe Harry, no marco de sua segunda estadia militar no Afeganistão, onde está em andamento o processo de retirada das tropas internacionais.

Os talebans lutam para derrubar o governo afegão e conseguir a saída imediata das tropas internacionais desdobradas no país com vistas a implantar um regime fundamentalista islâmico, como já fizeram entre os anos 1996 e 2001.

    Leia tudo sobre: harrypríncipepríncipe harryfamília realreino unidoafeganistãotaleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG