Candidato republicano à presidência dos Estados Unidos tenta atingir Obama após resultados desfavoráveis em pesquisa eleitoral

O candidato republicado à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, aproveitou a onda de ataques a embaixadas norte-americanas no Oriente Médio e criticou a atual política externa de Barack Obama. Nesta sexta-feira, enquanto participava de uma campanha de arrecadação de fundos em Nova York, ele mandou um recado ao Egito.

"Eles (os egípcios) devem proteger os direitos das minorias no país. E, entre outras coisas, precisam também proteger as embaixadas da nação americana e de outras nações", afimrou.

Romney durante a Convenção Republicana (arquivo)
Reprodução
Romney durante a Convenção Republicana (arquivo)

Ele também lembrou que o gigante africano também depende das remessas de dólares enviadas todos os meses a partir de Washington à região. "Deveríamos deixar muito claro para o Egito que, para manter uma relação, uma amizade, uma aliança e um apoio financeiro, o país precisa honrar o seu tratado de paz com Israel e com os Estados Unidos", disse Romney.

Veja: Imagens que marcaram a semana

O discurso do republicano chega após diversas pesquisas eleitorais mostrarem uma leve vantagem de Barack Obama na corrida presidencial. Após a Convenção Democrata da semana passada, o atual chefe de Estado americano tem apoio da maioria da população.

Atentados

Manifestantes atacaram as embaixadas da Alemanha e do Reino Unido no Sudão, nesta sexta-feira, em mais uma onda de revoltas por causa da divulgação de um vídeo em que o profeta Maomé é ridicularizado. Na capital Cartum, cerca de 500 pessoas colocaram fogo nos prédio dos dois órgãos internacionais e subsituíram as bandeiras alemã e britânica por uma islâmica. As autoridades locais afirmam que uma pessoa morreu em confrontos com o exército.

Mais cedo, um restaurante da rede KFC foi incendiado em Trípoli, no norte do Líbado, e um manifestante foi morto pelas forças de segurança locais. O Papa Bento 16 está em Beirute para uma visita de três dias e pediu o fim dos protestos violentos que seguem se espalhando pelo mundo árabe.

Em outro episódio, ao menos duas pessoas morreram e 28 ficaram feridas em um confronto entre manifestantes e forças de segurança da Tunísia. De acordo com relatos veiculados na rede de televisão local, um grande grupo tentou atacar a embaixada dos Estados Unidos em protesto ao vídeo anti-islâmico que circula no YouTube. As autoridades utilizaram gás lacrimogêneo e munição real.

Com Reuters e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.